terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Receita: Cheesecake vegano de frutas vermelhas

Final de ano é tempo de chutar o balde e roliçar sem culpa!

Consegui comprar o Cream Cheese vegano da Tofutti em BH (Loja Empório Nanak) e fiz essa receitinha delícia de cheescake de morango e framboesa <3.




Ingredientes da massa:

- 2 colheres de sopa de margarina vegetal (Becel azul, Soya e Delícia canola são isentas de ingredientes de origem animal, no entanto pertencem a marcas que testam em animais. Caso prefira fazer a própria margarina, aqui tem uma receita de margarina caseira)
- 1 pacote (aproximadamente) de biscoito maria ou cookie triturado

Misturar até que a massa fique uniforme e não grude na mão. 

Se preferir, a crosta pode ser também uma receita de bolo dura comum, adicionando mais farinha de trigo até obter o ponto de não grudar na mão.

Colocar numa forma removível, cobrindo as laterais no formato de torta, com bordas finas. Assar em forno a 180°C. Enquanto estiver assando até dourar, preparar o recheio.

Ingredientes do recheio:

- 300g de tofu firme
- Meio pote de Cream Cheese Tofutti 
- Suco de 3 limões
- 1/2 xícara de açúcar 
- 3 colheres de sopa de amido de milho
- 1 colher de sopa de essência de baunilha

Bater tudo no liquidificador.

Depois que a crosta estiver dourada, despejar o recheio e terminar de assar por mais uns 30 minutos aproximadamente.

Antes de colocar na geladeira, passar geleia de frutas vermelhas, colocar morangos picados e framboesas por cima. Pronto! Servir resfriado.



Cream Cheese da Tofutti e geleia de frutas vermelhas sem açúcar da Queensberry

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Desapegos de produtos veganos!

Quem se interessar por algum desses produtos, por favor envie um e-mail para veganaelinda@gmail.com

1. Frações de pigmentos - 0,5g 
(Conteúdo do pote inteiro: 2,25g)


Alva (R$12 cada) - cores: No Doubt | Remember Me | Sumptuous Grape | Sparkling Harmony

Sugarpill (R$10 cada) - cor: Stella

Maquiagens usando os pigmentos: aqui, aqui, aqui e aqui.

Frete: 
- Se quiser num saquinho ziploc, envio via carta registrada para todo o Brasil - R$5,00
- Se quiser num potinho de plástico, envio por PAC de BH à sua cidade (consulte através do seu CEP)

Suoátis sem e com flash:




2. Blushes da Sleek VENDIDOS
(Foram usados poucas vezes)

Cores (R$10 cada):  Suede | Life's a Peach | Rose Gold 

Life's a Peach | Suede | Rose Gold 

Frete: PAC de BH à sua cidade (consulte através do seu CEP)

Tinturas, tonalizantes e descolorantes veganos

Sou questionada com certa frequência a respeito de tinturas, tonalizantes e descolorantes veganos. A maioria das colorações de empresas que não testam em animais leva queratina e colágeno de origem animal, aminoácidos da seda e cera alba, por exemplo. E para piorar muitas empresas não deixam claro se o produto é mesmo isento de ingredientes de origem animal.

Para minha tristeza eu descobri há pouco tempo que a Joico e a Alfaparf testam em animais, já que, ao que tudo indica, estão sendo vendidas na China (fonte: aqui e aqui), ou seja, deixaram de ser cruelty free!

Resolvi fazer uma lista com várias opções de tinturas veganas baseando em informações nos sites, respostas de SAC e na leitura da composição do rótulo. É importante dizer que nem todos os produtos dessas empresas são veganos. Pode ser também que existam outros produtos veganos que eu não mencionei. Nesse caso, peço a gentileza de que quem souber de mais algum deixar o nome do produto nos comentários.

PRODUTOS INTERNACIONAIS



1. Aubrey - Coloração natural
2. Naturtint - Coloração sem amônia (Resenha aqui)
3. Tints of Nature - Coloração sem amônia
4. Manic Panic - Flash Lightening Kit de mechas/luzes 
5. Herbatint - Coloração sem amônia
6. Tints of Nature - Kit de mechas/luzes
7. Manic Panic - Tinta fantasia
8. Manic Panic - Amplified tonalizante desamarelador
9. Aveda - Coloração  Não é mais cruelty free!!
10. Paul Mitchell - Ink Works, XG, PM Shines
11. Special Effects - Tinta Fantasia
12. Lush - Henna
13. Overtone (Entrega no Brasil)
14. Directions (Entrega no Brasil)


PRODUTOS NACIONAIS


1. Kert - Keraton Henna tonalizante com certificado orgânico
2. Surya - Henna com certificado vegano (Resenha aqui)
3. Yamá - Dekap Color
4. Intea - Loção Clareadora (Resenha aqui)
5. Cless - Lighner Pó descolorante (exceto o de proteínas do leite)
6. Yamá- Água Oxigenada
7. Amend - Pó descolorante Aloe Vera e Silicone (somente o de embalagem vermelha)
8. C. Kamura - Tonalizante Color Intense
9. Keune - Coloração So Pure (a linha So Pure é isenta de ingredientes de origem animal)
10. Phytoervas - Coloração Phytocolor

Atualização 07/09/2015:

11. Coloração e revelador Itely Colorly 2020 (Resenha aqui)
12. Tonalizante Keraton Hard Fix da Kert



Composições: 








domingo, 22 de dezembro de 2013

Receita DIY: Lip tint de beterraba


A Benefit (que infelizmente não é cruelty free por fazer testes na China) tem um produto líquido vermelhinho chamado Benetint, que deixa os lábios e bochechas com um aspecto extremamente natural e com uma pigmentação avermelhada. Não encontrei um produto vegano similar, mas fiz algumas receitas e achei uma que tem efeito super parecido. Os ingredientes são naturais e não contém conservante, por isso tem validade reduzida e menor duração nos lábios.

Encontrei a receita nesse site.

Ingredientes:

- 1/2 beterraba grande ou 1 pequena
- 2 colheres de sopa de glicerina vegetal bidestilada (comprei aqui)
- 5 gotas de óleo essencial de hortelã-pimenta (peppermint)

A glicerina ajuda a grudar a pigmentação e ainda hidrata os lábios. A beterraba tem uma cor lindíssima. O óleo essencial de menta é responsável por dar um cheirinho e gostinho refrescante e age como preservativo.


Modo de fazer:

Corte a beterraba em cubinhos e cozinhe junto com a glicerina em banho-maria por aproximadamente 20 minutos. Deixe esfriar, coe e coloque em um frasco de sua preferência. Eu usei o frasco em roll-on da Bioessência, mas você pode usar também um frasco de gloss antigo.




A duração nos lábios é de 1-2 horas e depois tem que reaplicar. Nas bochechas a duração é de umas 3-4 horas. A validade é de 1 mês fora da geladeira e se guardada na geladeira dura um pouco mais. Quando a textura estiver ficando mais grossa ou com cheiro esquisito é hora de jogar fora!

Resultado nos lábios:




quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Bolsa e bracelete ecológicos da Santi Martin



Aproveitei o desconto que a Santi Martin ofereceu há algumas semanas e comprei uma bolsa e um bracelete feitos em material reciclado de câmaras de ar, dessas que são usadas em pneus de bicicletas, motos, carros antigos etc.

Como não são biodegradáveis, a borracha das câmaras de ar acaba contaminado a natureza, permanecendo por centenas de anos. A ideia de usar esse material para produzir bolsas e acessórios é muito legal. O que me atraiu também foi o fato de ser um material extremamente resistente (sou dessas que joga bolsas de forma não delicada e muitas acabam danificando).

O nome desse processo é o Upcycling, o qual transforma resíduos ou produtos inúteis e descartáveis em novos materiais ou produtos de maior valor, uso ou qualidade. Utiliza materiais no fim de vida útil na mesma forma que ele está no lixo para dar uma nova utilidade. Ao contrário da reciclagem, que usa energia para destruir a forma e então transformar em algo novo.



Achei a bolsa super bonitinha para ir em shows, barzinho etc. Apesar de ser pequena, cabe minha carteira, celular, makes e minha câmera.

Aproveitei para comprar o bracelete que estava com desconto. Ele tem um estilo mais rock'n'roll, perfeito para ir em shows!


A bolsa custou R$80 e o bracelete R$15. As peças não estão mais com desconto, mas de vez em quando aparece uma promoção divulgada na página de Facebook da Santi Martin. A loja aceita também o cartão do clube do Vista-se.

Achei esse vídeo explicando sobre a produção das bolsas para quem teve curiosidade.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

O que eu ganho sendo vegana(o)?


O ponto central do veganismo é o fim da exploração dos animais. Veganismo é uma postura cujo foco central e principal são os animais. No entanto, frequentemente, as discussões sobre veganismo acabam abordando a seguinte questão: o que EU ganho sendo vegano.

É comum em debates as pessoas confundirem veganismo com busca pela saúde pessoal. A pessoa pergunta se um determinado produto é vegano e recebe como resposta “isso faz mal! Não coma!”. A pessoa coloca uma foto de um doce vegano e recebe comentários tipo “eu não como isso. As gorduras saturadas e o açúcar blablabla”. Uma crítica que eu fiz à Revista dos Vegetarianos foi exatamente essa: desviar o “vegetarianismo pelos animais” para “vegetarianismo pela saúde”. A revista só falava de como o alimento X ou Y iria beneficiar à saúde humana, raramente abordando questões éticas ligadas aos animais.




Vejo vários problemas em querer relacionar veganismo à busca pela saúde, ou seja, o que VOCÊ irá ganhar sendo vegana. Apresento alguns abaixo:

1) Se o objetivo do veganismo fosse a saúde humana, então não haveria problema algum em usar peles, produtos testados em animais, participar de caçadas e pescarias, afinal de que maneira essas práticas afetam a saúde humana? Como veganismo é uma prática muito mais abrangente do que uma mera dieta, se você só se preocupa com o que come (e a sua saúde), jamais será um vegano, ou seja, alguém realmente comprometido em promover o verdadeiro fim da escravidão animal. Veganismo não é dieta!

2) É possível ser saudável comendo carne, ovos e leite. A alimentação mediterrânea é reconhecidamente uma das mais saudáveis que existem. Dessa forma, se o objetivo do veganismo fosse uma busca pela saúde, ele seria no máximo apenas uma das opções de DIETA disponíveis, não sendo de maneira alguma obrigatório. O veganismo passaria de obrigação moral para opção de dieta.

3) Se o grande objetivo do veganismo é por um fim à desgraça animal, ele deve ser viável a todas as pessoas e não apenas a um pequeno grupo. A única forma de salvarmos os animais em grande escala é transformar o veganismo em algo acessível a todos, em larga escala. Relacionar o veganismo a um nicho de pessoas em busca de um objetivo PESSOAL como saúde é uma péssima estratégia se o nosso objetivo for salvar animais.

O veganismo tem que ser acessível a todas as pessoas, com os mais diferentes estilos de vida. É perfeitamente possível que um cara sedentário, que só come junk food e que não está nem aí pra a saúde dele seja vegano. Afinal de contas, cada um que cuide da sua própria vida. Não temos o direito de machucar terceiros por causa das nossas escolhas, mas com o nosso próprio corpo fazemos o que bem quisermos. Se o cara não quer cuidar da saúde, isso é um direito dele e deve ser respeitado, mas que não o impede de ser vegano.

4) Agora vem a parte mais importante pra mim. Discutir saúde só vale a pena quando tentam afirmar que uma dieta que exclua ingredientes de origem animal não possui todos os nutrientes. Nesse caso, vale a pena mostrarmos que a dieta vegana atende a todas as necessidades nutricionais em qualquer fase da vida. Ser vegano não faz mal. Você não estará obrigatoriamente prejudicando a sua saúde.

No entanto, sinto que muitas pessoas gostam de relacionar veganismo com saúde para mostrar o que nós ganhamos pessoalmente sendo veganos, achando que isso daria mais força à argumentação vegana. Me parece que os direitos dos animais não tem tanta importância para essas pessoas, mas quando nos provam que ganhamos algo sendo veganos, temos enfim um bom motivo para aderir à dieta vegana.

Fonte: Vegamet

Considero esse raciocínio bastante maléfico e, infelizmente, muito comum. Em várias outras situações percebo como as pessoas pretendem justificar uma causa usando argumentos como “apoie essa causa porque será melhor pra VOCÊ”. Por exemplo, já cansei de ver gente dizendo “machismo faz mal aos homens também. Lute contra o machismo” ou “sou contra estupro, afinal tenho mulheres na família”. Resumo dessa linha de pensamento: só devemos lutar por algo se formos beneficiados diretamente. Discordo dessa postura egoísta completamente. O veganismo é uma luta pelo respeito aos ANIMAIS! Não queremos legislar em causa própria e isso é uma das coisas mais bonitas no veganismo: a total preocupação com o próximo, a total ausência de egoísmo tipo “e o que eu ganho com isso?”. Dessa forma, me recuso a transformar a discussão vegana em “seja vegano, afinal você se beneficiará com isso (saúde) e, se você ganhar algo, então terá um bom motivo para aderir à causa”.

Veganismo não é luta pela saúde, não é uma forma de não nos intoxicarmos com “energias ruins vindas da morte do animal”, não é para auxiliar a meditação ou qualquer outro motivo totalmente antropocêntrico e egoísta. Veganismo é uma luta PELOS ANIMAIS! Fica a pergunta: defender a causa animal, mesmo que um humano não ganhe nada com isso, já não é motivo suficiente?

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Delineador em gel da Vult


Descobri um delineador vegano, acessível e muito bom: o da Vult. Já tinha lido resenhas ótimas sobre ele, mas quando descobri que era vegano em um dia de bobeira lendo o rótulo, gostei muito e achei que seria útil divulgar!


Sei que muita gente usa delineador e não pode comprar fora do Brasil. Essa é uma opção com um bom custo-benefício. Custou cerca de R$27,00 e vem 2 g de produto.

O que mais me impressionou foi a pigmentação. Ele é super pretinho e macio de aplicar. 

A secagem é rápida e não borra. 

A duração é ótima, dura o dia todo. Achei difícil remover, pode ser que ele seja a prova d'água. Mas com essa dica de demaquilante caseiro que eu falei aqui (algodão com água e óleo vegetal: azeite, amêndoas, jojoba etc) sai perfeitamente.


Outra coisa que eu achei ótimo foi o aplicador que veio junto. As cerdas são sintéticas e fininhas, ótimas para qualquer traçado. 



A Vult não é totalmente vegana. Alguns produtos levam lanolina, cera de abelha e carmine (e mais outros ingredientes que podem ser de origem animal). Tem que ler o rótulo. Mas de qualquer forma, me surpreendi com esse delineador porque eu sempre achei os produtos da Vult ruins. Há alguns anos eu comprei umas sombras horrorosas, esfarelentas e fraquinhas. Fiquei com preconceito! Parece que agora estão investindo em qualidade e eu estou revendo meus conceitos. haha
Amostra no braço:


Comparação entre o da Vult (esquerda) e Yes (direita). Lembrando que o da Yes foi aberto em março (resenha aqui) e já passou pelo microondas algumas vezes hehe.



12 horas depois (juro pelos meus cachorros!). Usei o primer da The All Natural Face:

 

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Presentes veganos para homens

É tão difícil dar presente para homem! Eu acho super complicado.

Veja algumas dicas de presentes veganos para todos os bolsos:


1. Carteiras  de material sintético


Será o Benedito - R$55,00

Canna - R$130

2. Cintos de material sintético


King 55 - R$41,00

Vegano Shoes - R$19,90

3. Calçados de material sintético



Vegano Shoes - R$119,90

Derby Masculino
Ahimsa - R$196,00


Madbull - R$129,90 (somente alguns modelos são veganos. )

4. Livros



Extra - R$26,60

5. Perfumes

Phebo - R$127,00


Phebo - R$27,00


Feito Brasil - R$28,00


6. Cosméticos

Feito Brasil - R$22,00

Sapien Gel Modelador
Surya - R$16,40



Multivegetal - R$14,90


7. Gravata de material sintético

King 55 - R$88,00


8. Chinelo

Vista-se - R$39

9. Acessórios
Chaveiro com 3 pingentes
Adote um gatinho - R$15,00


Caneca


Patinhas on line - R$22,00

Veddas - R$20,00