sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Protetor de Bolhas e Calos da Granado


Essa é uma dica para quem sofre com bolhas e calos nos pés. Tenho a pele do pé muito fina e o costume de usar salto alto, botas, sapatilhas, tênis de corrida etc me dão bolhas e calos. 

Eu comprei esse gel há bastante tempo, mas foi na semana passada, com a ida em shows nos quais eu passei horas em pé, que a eficácia seria posta em prática.  

Não tenho problemas com o calcanhar, meu problema é na sola (peito) do pé, na lateral e entre os dedos. O gel da Granado protege contra o atrito com o sapato, impedindo a formação de bolhas. É um mix de silicones para prevenção. Depois que o estrago já foi feito, não adianta usar em cima da bolha (infelizmente eu testei a um tempo atrás e foi um desastre).

E qual não foi minha surpresa de chegar em casa e não encontrar uma bolha sequer. Eu usei uma botinha com salto pequeno e bico arredondado. Andei que nem uma condenada e ainda fiquei bastante tempo em pé no ônibus (Jacarepaguá é longe pra caramba!). 

Só preciso de uma quantidade do tamanho de um grão de feijão para cada pé e o tubo rende bastante. 

Composição:

Custou cerca de R$27.

A Granado é uma empresa quase toda vegana, com exceção dos sabonetes, shampoos e condicionadores de lanolina, os sabonetes de mel e o esfoliante de pés da linha Pink, que contém cera alba. Os esmaltes contém proteína da seda.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Resenha: shampoo e máscara Pós Progressiva da Bio Extratus



Hoje venho falar de 2 produtos que queria ter feito resenha há tempos, já que os considero um ótimo custo-benefício.

Já citei a máscara no post sobre cronograma capilar vegano e ela se encaixa tanto na etapa hidratação como na reconstrução, por conter queratina vegetal obtida de proteínas do trigo, da soja, do milho e do arroz. É complicado encontrar produtos veganos com queratina vegetal no Brasil e a preços bons. Sou suspeita pra falar, mas a queratina vegetal possui maior qualidade de reconstruir o cabelo que a de origem animal. A vegetal não deixa os fios pesados, duros e sem balanço, ao contrário da queratina animal.

Os produtos da linha Pós Progressiva da Bio Extratus são indicados para serem usados em cabelos com progressiva por possuírem ativos hidratantes, reconstrutores e menos agressivos que os convencionais. A proposta é ter zero sulfato, silicones, petroquímicos e parabenos. No entanto, eu não tenho progressiva e achei que eles podem ser usados em quem possui algum tipo de química ou em cabelos ressecados.

O shampoo tem consistência cremosa e, como já era de se esperar devido à ausência de sulfato, não faz muita espuma ao lavar. Ele limpa bem a raiz, mas de forma a não ressecar o cabelo. Por esse motivo eu, que tenho raiz do cabelo oleosa, prefiro não usá-lo todos os dias,  porque senti que no dia seguinte a raiz fica mais oleosa. É um shampoo hidratante, ideal para dias em que o cabelo precisa ser hidratado. Prefiro revezar com um shampoo como o da Multivegetal ou da Herbia, por exemplo (ambos sem sulfato também). O cheiro é normal, não me incomodou, mas também não é uma delícia. Não fica no cabelo depois de seco.

A máscara já faz diferença logo na primeira aplicação, me surpreendeu. É uma máscara densa e deve ser aplicada mecha por mecha. Senti meu cabelo macio, fortalecido e hidratado. Tenho usado 1 vez por semana, a incluindo na etapa de reconstrução e certamente é uma das melhores máscaras que eu já usei nessa faixa de preço. O tempo de espera é de 10 minutos e eu recomendo obedecer! O cheiro é parecido com o do shampoo e também não fica no cabelo depois de seco.

Não experimentei o condicionador e o leave in, mas se seguirem o shampoo e a máscara, devem ser muito bons também.

Comprei a máscara por R$13 e o shampoo por R$15 na Lojas Rede.

Composição do shampoo:



Composição da máscara:



Para quem se interessou em comprar produtos veganos da Bio Extratus, de acordo com o SAC da empresa, os ingredientes de origem animal que eles usam são:

* Linha Neutro com Proteínas do Leite (LEITE)
* Linha Tutano (TUTANO)
* Linha Queravit (QUERATINA)
* Linha Nutricachos (COLÁGENO)
* Linha Octol (PRÓPOLIS)
* Pomada Propomel (PRÓPOLIS , MEL e LANOLINA)
* Queratina Concentrada (QUERATINA)
* Biottano ( LANOLINA )
* Elixir de Nutrição Shitake Plus (LANOLINA)
* Finalizador Noite/Dia Shitake Plus (LANOLINA)

As demais linhas são formuladas com ativos de origem vegetal.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Maquiagem para o Rock in Rio

Amanhã eu entro de férias e viajo para o Rio para assistir 2 dias do Rock in Rio! \o/ \o/ \m/ 

A maquiagem que eu pensei é bem simples, mas com pegada rock e pensando que tinha que durar mais de 12 horas de forma digna. As 2 coisas que me vieram na cabeça foram: delineador em gel preto e lápis de olho a prova d'água da Stila, que é comparável aos 24/7 da Urban Decay e muito mais barato! 

Atualização (28/10/2013): A Stila entrou no mercado chinês (onde os testes em animais são requeridos) e não é mais cruelty free.

Sombra escura no côncavo não foi uma opção, já que a chance de borrar e acumular é grande. Batom também eu desisti, então fiquei no balm cor de boca e será o único item de make que levarei na mochila para retocar, se precisar.


No dia usarei uma máscara de argila verde para reduzir a oleosidade da pele! 




Rosto
Primer da Bioart
Base Matte da Phebo cor Noz
Corretivo Camouflage da Alverde cor beige 02
Pó Alva cor Medium
Bronzer Contour Kit Sleek cor Light
Blush Elf cor Peachy Keen

Olhos
Mineral Primer da Elf
Contour Kit da Sleek no côncavo
Delineador preto em gel da Yes Cosmetics
Lápis Smudge Waterproof da Stila cor Tetra
Máscara Mineral Infused da Elf
Lápis de sobrancelha Push-up Bra da NYX

Boca
Lip Twist Joppa Minerals cor First Love

Principais ingredientes de origem animal em cosméticos


Há uma lista enorme com todos os ingredientes que podem ou não ser de origem animal no site da PETA e PEA. No entanto essa lista pode parecer assustadora à primeira vista. São muitos ingredientes para lembrar e fica praticamente impossível decorar tudo! Até que o projeto de lei da rotulagem vegana se torne lei, teremos um trabalho extra.

Fiz uma lista abaixo com os ingredientes que podem ou não ser de origem animal, baseada na minha experiência com rótulos de cosméticos. É claro que podem ter outros ingredientes além destes, mas são bem mais improváveis de achar, como gordura de baleia e golfinho.

Confesso que achava uma chatice ter que ler os ingredientes. No entanto, de tanto ler rótulos, nos tornamos mais conscientes do que estamos comprando e usando. Depois de um tempo, não dá mais para comprar produtos com derivados do petróleo e achar que é um cosmético de ótima qualidade, por exemplo. Mas lembre-se: ser natural é diferente de ser vegano.

Como saber se os ingredientes são de origem animal ou não?

  1.  Leia o rótulo e tente identificar os ingredientes que possam não ser de origem animal.
  2. Caso identifique ingredientes que possam ser tanto de origem animal ou vegetal/sintético, vá no site da empresa e envie uma mensagem ou e-mail ao SAC, questionando a origem dos ingredientes do produto que está em dúvida. 
  3. Caso não esteja seguro da resposta ou a empresa tenha ignorado seu e-mail solenemente, dê preferência às marcas que alegam no rótulo dos produtos ou no site, serem cruelty free e isentos de ingredientes de origem animal. No final do post, citarei algumas delas.



Origem animal:
(a não ser que tenha a palavra "synthetic" ou "vegetable" na frente, esses ingredientes são de origem animal. Evite-os)


  • Lanolin (gordura da lã de carneiro)
  • Beeswax / Cera Alba / Geléia Real (cera de abelha) 
  • Tallow ou tallowate (sebo bovino)
  • Carmine ou CI 75470 (insetos amassados)
  • Silk ou Hydrolized Silk ou Silk Aminoacids (bicho da seda)
  • Gelatin (derivado de ossos bovinos ou suínos)
  • Tutano (derivado de ossos bovinos)
  • Milk protein (proteínas do leite)
  • Emu oil (óleo de emu, uma ave como o avestruz)
  • Natural hair (pelo animal natural em escovas e pincéis)
  • Collagen ou Hydrolyzed Collagen (retirado dos ossos de animais)
  • Elastin (retirado dos ossos de animais)


Pode ser de origem animal ou origem vegetal ou sintética:
(em alguns produtos existe a palavra "vegetal" ou "synthetic". Caso não tenha, questione o SAC da empresa)


  • Keratin ou Hydrolyzed Keratin (pode ser oriunda de pele, unha e pelo animal, ou de cabelo humano)
  • Stearic Acid ou Stearate (pode ser gordura animal ou vegetal)
  • Caprylic/Capric triglyceride (pode ser derivado de gordura animal ou vegetal)
  • Hyaluronic Acid (pode ser placenta animal ou de origem sintética)
  • Glycerin (pode ser derivado de gordura animal ou vegetal)
  • Urea (pode ser urina de animais ou sintética)
  • Panthenol (pode ser derivado de mel, ovos, carnes ou vegetal)
  • Retinol (pode ser derivado de ovos, peixes ou leite.)
  • Magnesium Stearate (pode ser gordura animal ou vegetal)
  • Zinc Stearate (pode ser gordura animal ou vegetal)


É de origem vegetal/sintética:
(Citei apenas os que podem causar dúvidas)

  • Vegetable Glycerin
  • Castor oil (óleo de rícino, derivado de mamona)
  • Synthetic beeswax (cera de abelha sintética)
  • Silicones (dimethicone, cyclomethicone etc. Derivados de silício)
  • Paraffinum (Derivado do petróleo)
  • Extract (plantas)
  • Oil (óleos vegetais, exceto fish oil e emu oil)
  • Seed Butter (manteiga vegetal)
  • Vegetable Collagen (somente se estiver no rótulo "colágeno vegetal" Pode ser extraído de leveduras)

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Receita DIY: Tônico vegano caseiro para peles oleosas


Estou usando há anos e amando esse tônico caseiro que eu fiz para pele mista ou oleosa, baseado em uma receita indicada por uma dermatologista. A pele fica limpa, refrescante, sequinha e cicatriza mais rapidamente cravos ou espinhas inflamadas.

Borrifo esse tônico em um algodãozinho ou toalhinha depois da limpeza da pele com sabonete, 2 vezes ao dia, para retirar oleosidade ou o resíduo de maquiagem que a limpeza não foi capaz de remover da pele. Depois hidrato a pele com um creme hidratante ou óleo de jojoba com aloe vera. Também é preciso usar um protetor solar durante o dia.

O vinagre de maçã e o chá verde agem como adstringentes e ajudam a reduzir a oleosidade e poros aparentes. Os óleos essenciais tem função antibacteriana, refrescam, melhoram a circulação e ajudam a diminuir a vermelhidão. Ajudam também a disfarçar o cheiro forte do vinagre (que eu não gosto).

Ingredientes:
  • 20 ml de água mineral ou filtrada. Para peles muito sensíveis, o suco/gel de aloe vera é uma excelente opção. Para peles problemáticas, use o chá verde no lugar da água.
  • 10 ml de vinagre de maçã.
  • 5 gotas de óleo essencial de melaleuca (tea tree).
  • 3 gotas de óleo essencial de hortelã (e/ou algum outro de sua preferência, como o Junípero, que é bom para peles oleosas)
Total: 30 ml.

Colocar em uma garrafinha com borrifador e manter em geladeira, se possível.

Guardei em um frasco escuro reutilizado. Caso não tenha, guarde em um frasco vazio de plástico ou vidro e use fita adesiva escura ao redor do frasco para evitar que a luz solar prejudique as propriedades dos óleos essenciais.

Fica a dica para as oleosas: super simples de fazer, barato e eficaz!

Onde comprar óleos essenciais:

- Loja e-Cosmetique (10% de desconto com o código BELEZAVEGANA)
- Loja Lar Natural

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Soja: não acredite em tudo que lê!

Produtos à base de soja


















Não dá para negar que, apesar de não ser indispensável, a soja é uma mão na roda na vida dos veganos e vegetarianos. A cada dia surgem opções de leite de soja, queijo de soja, hambúrguer de soja, chocolates de soja, salsicha de soja e sorvete de soja. Esses são exemplos de substitutos aos produtos contendo derivados de animais. Há uns 10-15 anos não víamos nenhum leite de soja de caixinha nas prateleiras dos supermercados. Se tinha, era muito caro. O mais comum era encontrar o extrato de soja, que por possuir um gosto bem forte, tinha baixa aceitação. Hoje é possível encontrar mais de 10 marcas diferentes de leite de soja nos supermercados e lojas de produtos naturais como Ades, Yoki, Batavo, Cemil, Sollys, Shefa, Olvebra, Purity, Native, Alpro, Jasmyne, Supra Soy, Sococo etc. Isso é um sinal de que a demanda está crescendo. Quando as pessoas compram leite de soja, deixam de comprar leite de vaca.

Ultimamente estou sendo bombardeada com correntes de e-mails, textos em revistas não científicas, sites pessoais e outros meios não confiáveis escritos por pseudo autoridades, que se auto intitulam de cientistas conceituados, demonizando a soja. Já li que o consumo de soja pode causar efeitos anormais em crianças, impotência, aumento de homossexualismo em homens devido aos hormônios femininos presentes nos fitoestrógenos, infertilidade e mais uma série de outras besteiras. A pergunta que fica é: o consumo de soja pode causar problemas ou não passa de mito?

Para responder a essa pergunta, vou fazer uma análise mostrando alguns fatos que contribuíram para o medo que criaram em torno do nome soja e irei me basear em estudos científicos (sou bastante cética e gosto de ter, sempre que possível, comprovação científica).

Os pecuaristas não querem ter prejuízo, isso é inegável. Se antes as pessoas que tomavam leite de vaca agora passaram a tomar leite de soja, obviamente os produtores de leite de vaca lutarão para não perder o osso. E uma das formas que muitos escolheram para tentar frear o consumo de soja foi criar polêmicas (sem respaldo algum na comunidade científica) sobre os malefícios da soja. Alguém tem alguma dúvida de que o lobby do leite de vaca e da carne são fortíssimos? Antes que algum desavisado pense que o lobby da soja seja forte, lembre-se que mais de 80% da soja produzida no Brasil é direcionada à ração animal (Fonte: FAO). Compare o corredor do setor de laticínios de um supermercado e o setor de produtos de soja e verá qual lobby é o mais forte.

Acho que o primeiro "artigo" foi publicado na revista "Nexus Magazine". Para começar, tirei isso do site da revista:

"NEXUS is a bi-monthly alternative news magazine covering health breakthroughs, future science and technology, suppressed news, free energy, religious revisionism, conspiracy, the environment, history and ancient mysteries, the mind, UFOs, paranormal and the unexplained."

UFO? Paranormalidade? O inexplicado? De científico essa revista não tem nada. Só não vê quem não quer. Aliás, até quem não queria ver já viu. Tá muito na cara. Como dar credibilidade a um "artigo" publicado em uma revista que trata de assuntos sobrenaturais?

Esse "artigo" foi traduzido para o português e divulgado pela Sonia Hirsch no site "Corre Cotia". Já alerto para o festival de baboseiras infundadas que tem nesses sites.

Uma análise mais profunda nos remete aos autores do "artigo" publicado na Nexus. As escritoras Mary e Sally se mostram absurdamente parciais e mal informadas, visto que uma é jornalista e a outra é fundadora do “The Weston A. Price Foundationque semeia o anti vegetarianismo e são totalmente a favor do alto consumo de gorduras saturadas animais. O mais engraçado foi que no site um autor (Stephen Byrnes) tal como a Sally, era extremamente radical contra dietas vegetarianas e até escreveu um "artigo" sobre mitos do vegetarianismo. Dizia que era adepto de dietas que incluíam manteiga, ovos, leite, carne etc. Ironicamente ele morreu aos 41 de derrame.

O lema da fundação Weston A. Price é algo como: "Eles são felizes porque comem manteiga, coma mais manteiga, leite de vaca, óleo de fígado e carnes". Os patrocinadores da fundação (na parte de baixo do site) são indústrias agropecuárias, de suplementos de óleo de fígado etc. Precisa de mais? Se você ler algum "artigo" na internet sobre a soja ser um péssimo alimento, vá nas referências e procure por Weston A. Price. Se vê-lo por lá, pode saber que o "artigo" é uma enganação.


Fico profundamente triste de ver as pessoas, aparentemente entendidas no assunto, publicando fontes como Fundação Weston A. Price. 

Lamentável que informações baseadas em impressões pessoais, não fundamentadas em evidências reconhecidas, tenham tido a repercussão que tiveram, e deve-se alertar aos profissionais no sentido de que afirmações públicas desprovidas de documentação científica podem constituir falta de ética passível de processos.

Eles vão contra o consenso científico de médicos nutrólogos e nutricionistas. Recentemente um estudo publicado por cientistas da Harvard alertou para a limitação do consumo de leite e de produtos lácteos para uma a duas porções por dia, uma vez que o consumo elevado de laticínios está associado com aumento do risco de câncer de próstata e, possivelmente, câncer de ovário. O estudo deixa bem claro que leite não é um alimento saudável e que deveríamos optar por outras fontes de cálcio como tofu e brócolis.

Apesar de todo esse alarde em cima da soja, vou contestar alguns dos mitos que li por aí com alguns fatos:

- "Soja causa infertilidade." Os chineses (um dos maiores consumidores de soja) que o o digam!

- "Causa crescimento das mamas em homens." Não merece uma resposta, mas esse e esse artigo mostraram que as isoflavonas presentes na soja não exercem nenhuma influência na testosterona. No caso em que o sujeito teve ginecomastia (foi publicado na revista Men's Health de forma bastante parcial), esqueceram-se de informar o pequeno detalhe de que ele tomava anabolizante. E o uso frequente de anabolizantes é comprovadamente causador de aumento de mamas em homens.

- "Causa degeneração do cérebro." A amostra foi em UMA área pequena no Havaí com amostras limitadas. Aparentemente houve uma fonte de alumínio no processo de produção. Não há nenhuma evidência científica. Outra vez, os japoneses (grandes consumidores de soja e considerados um povo extremamente inteligente) que o digam.

- "As isoflavonas na soja interrompem o crescimento e adiantam a puberdade". Não há absolutamente nenhuma evidência corroborando isso na literatura médica. E mais uma vez, testes feitos em animais não são conclusivos em humanos, já que organismos diferentes podem reagir de maneira diferente.

- "O ácido fítico presente na soja age como um anti-nutriente." Acho que é um pouco cedo demais para fazer uma afirmação precisa sobre esse assunto. Há 2 estudos científicos que explicam isso melhor:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7884537 e nesse:
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52731999000100002

"...existem muitas controvérsias em estudos de biodisponibilidade in vivo a respeito da extrapolação de resultados de sistemas experimentais, para seres humanos que se alimentam com dietas complexas. O papel dos fatores antinutricionais tem sido rediscutido, em função de descobertas recentes que evidenciam o potencial de algumas dessas substâncias em exercer funções benéficas ao organismo humano. A habilidade do ácido fítico em atuar como anticarcinogênico, antioxidante e prestar contribuição nutricional no tratamento de diabetes, através da ação inibidora de a-amilases, são exemplos da diversidade de atuação dessas substâncias. Os taninos são antioxidantes, inibidores de determinadas enzimas e influenciam negativamente a digestibilidade de proteínas, no entanto, os seus efeitos em seres humanos ainda são desconhecidos."

"Os orientais só comem soja na forma fermentada". Dizer que os orientais só comem soja fermentada não prova nada. Não existe a correlação do que é correto ou errado a partir do que os orientais fazem. Essa afirmação dá a entender que eles são os donos da verdade e que se eles não comem é porque não se deve comer. Lembre-se que orientais comem carne de baiacu, que pode ser venenosa e matar. Obs: tofu não é fermentado.
Na minha opinião, isso não passa de um tanto de gente relacionada com a indústria leiteira preocupada com o osso que vem perdendo pra soja. E nada melhor seria do que causar pânico nas pessoas em cima desse assunto. A melhor estratégia de todas é divulgar que a soja afeta a masculinidade dos homens. Homem morre de medo disso. A maioria dos homens prefere ter um enfarte ou câncer a ter um problema que afete a sua vida sexual. Por isso, atacar dizendo que soja dá câncer não teria tanto efeito assim. Nem todos ligam muito pra isso. Mas na hora que falam que soja deixa o cara gay, com peitinho, impotente, infértil, etc, aí quase TODOS os homens entram em pânico e não querem nem saber se é verdade ou não. Essa acusação é tão grave, tão tenebrosa, que por via das dúvidas, o cara prefere evitar e não correr o risco. E se a escolha for entre animais sofrendo ou ficar com peitinho, os animais que se danem. ESSE É O PONTO! Essa é a estratégia.

Tiro o chapéu para o apelo comercial: foi muito bem bolada! Eles só esquecem de que geralmente são introduzidos nas vacas hormônios (femininos, claro) para que produzam mais leite. Sem falar nos próprios hormônios femininos que as vacas já possuem. A ração das vacas é composta basicamente por soja. Pra onde será que esses fitoestrógenos vão parar? Mas ninguém fala do leite de vaca, só demonizam a soja.

Obs: o "aumento" da homossexualidade aparente é porque as pessoas estão, mesmo que a passos de formiga, aceitando e respeitando mais os homossexuais. Logo, eles tem mais liberdade de assumir publicamente sem medo de sofrer represálias, ser espancados na rua e excluídos da sociedade. Deve ser porque a gente tá no século XXI, né?

Apesar de a soja estar presente na lista dos 8 alimentos que mais causam alergia, apenas cerca de 0,2% da população é alérgica a soja.

Quando se alerta em excesso do consumo de soja, a preocupação NÃO é que comer soja em excesso em si faz mal e sim, que é importante manter uma alimentação balanceada variando a dieta com frutas, verduras, legumes e outras leguminosas além da soja, como ervilha, grão de bico, lentilha, quinoa etc, evitando, é claro, o consumo desproporcional de um grupo de alimento em detrimento da exclusão de outro tão importante quanto.

Apesar de ainda haver poucos estudos sobre os benefícios da soja, cito alguns artigos científicos:

sábado, 7 de setembro de 2013

Resenha: paleta de corretivos da Catrice



Recentemente fiz umas comprinhas na loja online Element Cosméticos e fiquei muito satisfeita com a loja. Gostei dos preços, do prazo de entrega, do frete e do atendimento. A única coisa que eu não gostei foram os brindes: chocolate ao leite e balinhas de gelatina :/.  Dei para um menino no sinal, mas da próxima vez lembrarei de deixar mensagem pedindo para não me enviar os brindes.

Os produtos vem diretamente da Alemanha e lá tem várias marcas bacanas, principalmente para quem é vegano e/ou tentar usar produtos naturais. A Alva, por exemplo, é alemã, mas infelizmente não é vendida no site.

Dentre os produtos a venda no site, as marcas que não testam em animais são: Alverde, Balea, Catrice, Essence, Milani, P2 e Sundance. 

Quando algum produto é vegano e tem indicado na embalagem, a vendedora inclui a informação no final da descrição de cada produto.

O meu corretivo tinha acabado e escolhi comprar a paleta de corretivos da Catrice - Allround Concealer. É um kit com 3 tons de corretivos e 2 corretores.


O corretor verde disfarça espinhas e vermelhidão na pele. O rosa/salmão é para olheiras escuras e amarronzadas. Isso ocorre porque cores opostas no espectro de cores se anulam. Sinceramente eu nunca tinha feito isso. Sempre tive a impressão que quanto mais se deposita produto, mais carregada fica a maquiagem. Mas o resultado fica interessante, apesar de dar uma diferença muito sutil.

Os corretivos são em tons de bege, podendo ser usados separados ou misturados, a fim de se chegar a uma cor ideal a cada tom de pele.

Achei ótima a versatilidade, já que tem época que estou mais bronzeada e em outras, com bronzeado palmito. Com o tom mais clarinho, dá também para criar áreas mais iluminadas no rosto. É uma mão na roda pra quem tem olheiras, manchinhas e outras pequenas imperfeições.

Apesar de ter 3 tons de bege, a paleta não é adequada a todas as cores de pele. Não serve para peles mais escuras e nem tem outra opção de paleta com cores mais escuras, infelizmente. Notei que isso é algo comum em marcas alemãs.


O tom verde precisa ser aplicado levemente, senão fica com cara do Geleia do Ghostbusters! haha

A textura é cremosa e fácil de aplicar e espalhar. Não é sequinha e, por isso, dá um aspecto mais natural. Acredito que em peles muito oleosas, não seja a ideal.

Quanto à cobertura, diria que é média. Cobre de forma natural, mas nada drástico. A duração em mim foi satisfatória.

Uma outra coisa que eu gostei foi que não me deu cravos nem espinhas. E a embalagem é bastante resistente.

Custou R$20,00 e o frete ficou em R$15,00. Não cheguei a usar em dias muito quentes, mas até então, achei que valeu a pena.

Usei o corretor verde na espinha e o bege médio ao redor dos olhos


Composição:
ETHYLHEXYL PALMITATE, ALUMINUM STARCH OCTENYLSUCCINATE, ISOSTEARYL ISOSTEARATE, MICA, TALC, SILICA, CERESIN, CARNAUBA (COPERNICIA CERIFERA) WAX, CAPRYLIC/CAPRIC TRIGLYCERIDE, PHENYL METHICONE, TOCOPHERYL ACETATE, ALOE BARBADENSIS LEAF EXTRACT, MAY CONTAIN: CI 19140 (YELLOW 5 LAKE), CI 15850 (RED 7), CI 42090 (BLUE 1), CI 77007 (ULTRAMARINES), CI 77491, CI 77492, CI 77499 (IRON OXIDES), CI 77510 (FERRIC FERROCYANIDE), CI 77891 (TITANIUM DIOXIDE).



sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Chocolate belga vegano: Cupido


Certos produtos são acidentalmente veganos, como é o caso desse chocolate da Cupido, o meio amargo da Garoto (passou a ter leite) e o Amargo da Arcor e Cacau Show. Esses chocolates não foram feitos especificamente para veganos ou intolerantes à lactose, mas acabam sendo isentos de ingredientes de origem animal sem querer querendo.

Esse foi minha sogra quem descobriu. Um dia ela me deu e eu já ia devolver alegando ter leite, mas ela logo já foi dizendo que não tinha! Adoooro \o/ E realmente não contém!


Tanto esse em formato de folha quanto o Sticks dark em espiral são veganos e MUITO bons!!! O de folha é fininho e derrete na boca. Ambos são suaves, não muito amargos.




Os 2 custam em torno de R$10,00 e já achei deles no supermercado Verdemar em BH e no Zona Sul, no Rio.


terça-feira, 3 de setembro de 2013

Resenha do livro: "Virei Vegetariano e agora?" do Eric Slywitch


Quem está pensando em virar vegetariano ou está no início da transição do vegetarianismo para o veganismo, deve estar cheio de dúvidas e incertezas. Para essas pessoas, eu recomendo muito esse livro, que é como um guia. Acredito que a maioria das dúvidas que um iniciante pode ter será sanada no livro do Eric Slywitch. 

Para quem não conhece, o Eric Slywitch é um médico especializado em nutrologia e nutrição vegetariana. Ele também escreve sobre nutrição mensalmente na Revista Vegetarianos. Quem já leu esses artigos e os acompanha a cada mês na revista vira fã do cara.

O "Virei Vegetariano e Agora?" aborda de forma muito didática um pouco de tudo relacionado ao vegetarianismo. O livro começa explicando a diferença entre as dietas (vegetarianas, veganas, ovo-lacto etc), depois explica os motivos que levam à mudança na dieta e como lidar com a família que não é ou não pretende virar vegetariana. Dá dicas de nutrientes essenciais, exames médicos laboratoriais necessários (não somente a quem é vegetariano, mas a todos), questões de saúde, anemia, B12 e muito mais.

Tem uns planos alimentares muito bacanas!

O Eric faz uma abordagem muito interessante sobre nutrição, que é a sua especialidade, mas vai muito além de um livro de nutrição. O livro aborda questões sociais, sobre como lidar com pessoas não vegetarianas que convivemos, mitos e verdades, perguntas que nos questionam all the fucking time como: "e as proteínas???", "que radical!", "vai ficar anêmico", "os animais foram feitos pra isso", "soja deixa o homem afeminado, viu?" e mais outras pérolas.

Respostas para perguntas frequentes

Uma coisa que eu prezo muito no Eric é que ele baseia, de forma neutra, suas afirmações em referências científicas, e não em achismos ou em pseudo ciência. No final do livro encontram-se várias referências bibliográficas para quem quiser aprofundar mais no assunto. 



Vende em várias livrarias. Eu comprei esse no Mundo Verde há um tempinho. Custa em torno de 30 reais. 

Guia: Produtos veganos na Sephora

Neste post eu selecionei alguns produtos veganos vendidos na Sephora para facilitar a vida de quem gosta de comprar no site ou na loja física. Ao invés de comprar um produto testado em animais, ou mesmo contendo ingredientes animais na composição, prefira os isentos e não testados em animais!

Pessoalmente, quando quero comprar um produto importado, prefiro comprar em sites estrangeiros que entregam no Brasil ou pedir alguém que traga. Devido aos preços disponibilizados pela Sephora Brasil, eu evito comprar na loja. Só se por acaso um produto muito interessante estiver em promoção. Mas quem não quer ou não pode comprar fora, a Sephora tem muita variedade. E ainda tem a opção tentadora de parcelar em 12x sem juros e frete grátis...



JOSIE MARAN

"Inspirada pelos maquiadores com quem trabalhou quando era modelo e impulsionada por seu desejo em ter maquiagem de qualidade, Josie Maran desenvolveu uma coleção com cosméticos puros e suaves em um luxuoso conjunto de cores e texturas. Usando ingredientes botânicos nas fórmulas, e embalando os produtos em embalagens recicláveis e biodegradáveis, os Cosméticos Josie Maran abraçam as práticas ecológicas com produtos feitos com amor – para as pessoas e pelo planeta."

Há uma lista de produtos veganos no site da empresa, na aba "View Our Icons".


HOURGLASS

"Criado pela renomada especialista em beleza Carisa Janes, Hourglass traz extravagância atemporal e estilo em uma coleção divina repleta de tons exuberantes em embalagens incrivelmente luxuosas. Sua maquiagem nunca foi tão bonita! Cada produto da linha Hourglass é formulado com tecnologia de ponta e ingredientes que trabalham para suavizar e amaciar a pele, enquanto as inovações em embalagens dão à linha seu apelo super chique. Hourglass abre seus olhos para uma nova realidade: estilo e essência podem coexistir."

Lista de produtos veganos, indicado como vegan na descrição de cada poduto:
  • Veil Mineral Primer
  • No 28 Primer
  • Solar Tan Primer
  • Veil Fluid Makeup (All)
  • Immaculate Liquid Powder Foundation (All) 
  • Oxygen Foundation Mineral Powder (All)
  • Arch Brow Sculpting Pencil (All)
  • Brushes (All)




"Com um novo conceito para cabelos cacheados, Deva é uma linha completa elaborada apenas com ingredientes botânicos, livres de sulfato e silicone, que rejuvenescem, restauram e respeitam a essência natural dos cabelos."

De acordo com o site: "Does DevaCurl test on animals?
DevaCurl has never, and will never, conduct animal testing. No DevaCurl product contains any animal derived ingredients." Não testam em animais, nem tem produtos que contém insumos animais.




"Os cuidados de cabelos de Lee Stafford foram lançados para serem únicos – para ser uma marca que fala com os seus jovens consumidores na sua própria língua e que cria o look que eles querem para todos os momentos. A combinação de embalagem rosa, os nomes divertidos e a qualidade profissional do produto resulta em uma fórmula de grande sucesso. "

Eu recomendo o shampoo roxo para quem tem cabelo loiro. É sensacional!

Segundo o SAC, a lista de produtos que contém ingredientes de origem animal é essa:

- As Ruff As you Like (Beeswax)
- Messed Up Shaper (Medilan LA08944)
- Poker Straight Intensive Treatment (Crosilk 1000)
- P2Fifty Poker Straight Treatment (Crosilk 1000)
- 2 Min Miracle Repair Hot Shot (Crotein HKP S/F)
- Hair Growth Treatment (Siliconyl Beeswax)
- Hair Growth Treatment (Siliconyl Beeswax)
- Matt Paste (Medilan LA08944)
- Chalk Stick Styler (Medilan LA08944)
- Moroccan Oil Shampoo (Crotein HKP S/F)
- Moroccan Oil Conditioner (Crotein HKP S/F)
- Moroccan Oil Conditioner (Keratec IFP)
- Moroccan Oil Treatment (Siliconyl Beeswax)
- Hair Growth Conditioner (Siliconyl Beeswax)



"Amazonia Viva, linha de Cosméticos botânica, é um mergulho na Amazônia. Nasce após uma pesquisa profunda dos ingredientes ativos botânicos presentes na rica biodiversidade da Floresta Amazônica, aliada ao conhecimento cosmético científico e tecnológico de ponta. Desenvolvida com alta concentração de ativos botânicos e sem derivados de petróleo, oferece um produto mais natural de eficácia excelente, aliada a um grande prazer no uso. Ao usar ingredientes renováveis da Amazônia, contribui-se para valorizar a Floresta e usufruir com responsabilidade das riquezas que ela oferece."

Utilizam somente a cera de abelha como ingrediente de origem animal.



"Avène é enraizada na dermatologia e hidroterapia, através de uma gama completa de produtos para a pele. Lançada em 1993, a marca de tratamento Avène foi desenvolvida para capturar os mesmos benefícios de cura para acalmar peles sensíveis em todo o mundo. As propriedades terapêuticas da água termal Avène tem sido usadas para tratar uma grande variedade de condições dermatológicas."

Segundo o SAC, a marca não realiza testes em animais há muitos anos, mas não respondeu sobre os produtos. É preciso ler os ingredientes para se certificar. 

ATUALIZAÇÃO: A AVÈNE COMEÇOU A TESTAR NA CHINA!





"Fundada em 2004, a Feito Brasil surgiu da imensa vontade de quebrar o padrão e a mesmice do mundo dos cosméticos com irreverência, ousadia, brasilidade e criatividade. Todos os produtos são pequenas obras de arte traduzidas em cosméticos artesanais veganos e sustentáveis, representando o espírito de uma empresa genuinamente brasileira. A Feito valoriza o nosso Brasil, cantado em verso e prosa, ilustrado nas embalagens e nos cosméticos sustentáveis."

Todos os produtos da marca são veganos. Resenha do hidratante Ilumine-se da Feito Brasil aqui.