quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Desapego: Rímel 3-in-1 da E.l.f.




Como comprei 2 rímeis máscaras de cílios 3-in-1 da Elf e já venho usando um deles, resolvi dar para quem tiver interesse o outro que não foi aberto e está lacrado. Resenha nesse post. Vou terminar de usar e quando acabar irei comprar o Mineral Infused porque eu gostei mais dele. Mas entendo que alguém pode querer experimentar.

Quem quiser deixe uma mensagem com e-mail manifestando interesse!!

Não vou cobrar nada, só o valor do frete de BH para sua cidade.

Resenha: Rímel vegano 3-in-1 Mascara da E.l.f.


Comprei esse rímel na Beauty Joint a uns meses atrás junto com o Mineral Infused também da E.l.f (resenha aqui) e estava só esperando completar 6 meses para abrir o 3-in-1. É recomendado usar máscaras de cílios por até 6 meses após aberta, uma vez que é um tipo de produto que tende a acumular bactérias e pode causar irritações. Eu tenho frescura de usar produto cremoso/líquido vencido nos olhos. De qualquer forma, é exatamente o tempo para começar a secar.

O que mais me chamou a atenção é que a escovinha tem essa bolinha em forma de ouriço na extremidade. Achei que ela faz a aplicação ser muito mais eficiente, dá para passar nos cantinhos externos e internos. E nos cílios inferiores é mais fácil não borrar. Achei muito legal isso! 

Notei que a haste é muito flexível e até entortou, mas é possível desempenar. Confesso que achei chato essa falta de firmeza na haste.

As cerdas são de silicone e definem os cílios sem empelotar. 


Segundo as informações na caixa, ela promete alongar, definir e dar volume aos cílios. Achei que ela não dá muito volume e alonga razoavelmente. A definição também não é das melhores. Mas deixa os cílios bem curvados.

- Sem máscara:


- 1 camada:


- 2 camadas:



- Comparação Mineral Infused à esquerda e 3-in-1 à direita:



Como rímel para o dia-a-dia, o resultado é super satisfatório. Os cílios ficam realçados, mas naturais. Se quiser cílios mais dramáticos e volumosos, esse definitivamente não é o ideal, na minha opinião. 

Não é à prova d'água, mas a duração é excelente e não borra.

No geral eu preferi a máscara Mineral Infused. Custam $4 dólares cada.

Composição:



Obs: Apesar de ser produzida na China, a E.l.f. não é vendida por lá, portanto não precisa ser testada em animais.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Sabonete de argila verde da Cativa Natureza



Recentemente eu aproveitei que estava por perto e fui na loja da Cativa Natureza em São Paulo. Acabei comprando algumas coisinhas, tudo é tão cheiroso e as funcionárias são super solícitas! A Cativa não faz testes em animais, produz cosméticos mais naturais/orgânicos e, segundo a proprietária, os produtos que não são veganos por conterem insumos animais são os que contém própolis e mel como a Linha Pele Oleosa, um dos sabonetes corporais (própolis e mel) e o lip balm com cor que contém lanolina.


Os produtos da Cativa tem certificação do IBD. Para quem não sabe, o IBD e o ECOCERT são certificadoras que proíbem testes em animais e o uso de matérias-primas que levem à morte ou causem danos aos animais, porém ambas autorizam o uso de matérias-primas de origem animal , desde que elas não tragam prejuízos aos animais e não haja substitutos. Sabemos que não existe essa história de "não tragam prejuízos aos animais". A indústria leiteira SEMPRE traz prejuízos aos animais, por exemplo. A morte não é o único "prejuízo". O ideal nesse caso, é ler os ingredientes no rótulo e procurar por ingredientes que podem conter leite, lanolina etc.

Tenho usado de 2-3 vezes por dia o sabonete para peles oleosas com argila verde. Há também outros sabonetes para cada tipo de pele, como o de argila vermelha para pele madura, o amarelo para pele delicada e o de argila branca para peles normais.

A sensação depois de lavar é de pele totalmente sem oleosidade. O sabonete retira mesmo a oleosidade e faz uma limpeza muito profunda. Não acho que minha pele seja mega oleosa, então senti que deu uma ressecada. Experimentei não usar nada em seguida e deu efeito rebote, a pele começou a produzir mais sebo que o normal, mas não senti repuxar. Por essa razão, é imprescindível usar um tônico e um hidratante de qualidade depois. Não acredito que deve dar certo para peles mistas.

Meu namorado também comprou para usar no rosto e gosta muito (ele não é tão chato como eu e tem a pele mais oleosa).

Por enquanto, acho que não vou continuar usando como sabonete diário. Vou guardar para levar em viagens e para quando tiver que levar na bolsa, pela praticidade de ser em barra e pequeno.

A duração é muito boa apesar do tamanho. É só não colocar ele embaixo da torneira por mais tempo que o necessário, que dura bastante. Estou usando há quase 1 mês e nem chegou na metade.

O cheiro é ótimo, lembra erva cidreira e menta, super refrescante.

O sabonete tem 60 g e custou R$16,00.

A composição é excelente:


domingo, 27 de outubro de 2013

Como afastar ratos de casa sem matar

ATENÇÃO: ANTES DE DESTILAR SEU ÓDIO POR RATOS NOS COMENTÁRIOS, LEIA O POST INTEIRO!! 

Ratinho que morou aqui em casa por um tempo

Um dia percebi que os sacos de ração estavam rasgados, a madeira da área de serviço estava roída, ouvia barulhos estranhos vindos do alto e descobri que havia ratinhos correndo de um lado para outro no forro e no telhado. Os cachorros ficavam desesperados e atentos a qualquer movimento. Apesar de achar os ratos super fofinhos, eles não podiam continuar em casa.

Como os ratos estavam sujando a casa e rasgando os sacos de alimentos, infelizmente a nossa convivência não estava em harmonia. Além disso, ratos são animais que gostam de tocas, por isso procuram bueiros e esgotos. Certamente não são limpos.

Os ratos infelizmente precisavam ir embora, mas como?

Eu jamais colocaria ratoeiras, veneno ou chumbinho. A morte por esses métodos é lenta e dolorosa. A morte por veneno, por exemplo, se dá por hemorragia interna e faz o bicho sofrer por horas. Geralmente eles ficam desidratados e buscam ar na superfície. É um método extremamente cruel.

Ratos e camundongos são animais sociáveis, inteligentes, possuem compaixão pelos membros de sua espécie e possuem vários traços fisiológicos e psicológicos semelhantes aos de humanos. Por essa razão são muito usados em experimentos científicos. Seria uma crueldade matá-los, e de forma tão dolorosa.

Além disso, colocar veneno é uma maneira completamente ineficaz de controle. Um rato não sabe que o seu colega morreu envenenado. Um morre, imediatamente outro aparece para ocupar o lugar. O grupo inteiro morre, pouco tempo depois outro aparece. É uma luta eterna e sem final feliz, tanto para os ratos quanto para quem pretende eliminá-los.

Ratinhos em grupo procurando comida na minha casa

A solução que eu encontrei, testei e funcionou foi o aparelho eletrônico de ultrassom. Há alguns meses eles sumiram e nunca mais apareceu nenhum.

Esse aparelho emite um som que incomoda os ratos, mas que são inaudíveis para humanos, cães, gatos e demais animais domésticos. Os ratos ficam tão incomodados com o som que vão embora. O alcance é de até 200 metros quadrados.

O aparelho funciona como prevenção também. Mantenha-o ligado e nenhum rato voltará!

Sugestões:

ByePest (R$31,50) no site do Guia Vegano




Rato Repelente Eco (R$85) no Mercado Livre




sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Resenha: Hidrolato de Tea Tree da Herbia para peles oleosas e/ou acneicas


Descobri há pouco tempo o que é o hidrolato e vou explicar rapidamente aqui para quem se interessa por produtos naturais e orgânicos. Hidrolatos (também chamados de hydrosol, essential water, herbal distilate ou floral water em inglês) são subprodutos da produção de óleos essenciais obtidos através da destilação de plantas aromáticas.

Geralmente o pH dos hidrolatos varia de 5 a 6, fazendo com que possam ser usados diretamente na pele, como tônicos faciais, misturados em argila para máscaras, spray corporal etc. Os óleos essenciais quando aplicados diretamente na pele podem causar irritação por terem alta concentração. No entanto, o hidrolato possui as mesmas características dos óleos essenciais, mas com baixa concentração.

O tea tree (Melaleuca alternifoliaé especialmente indicado para peles oleosas e/ou acneicas. Vários estudos científicos indicaram o tea tree como uma alternativa ao benzoyl peroxide (um ácido eficaz contra acne). Alguns estudos a respeito das propriedades do OE de tea tree na pele são: esse, esse, esse e esse. Uma das vantagens é que o tea tree não provoca os efeitos colaterais que esses ácidos geralmente provocam (irritação, vermelhidão, descamação e ressecamento excessivo da pele). É uma alternativa mais natural e cruelty free (infelizmente esses ácidos em gel para acne são medicamentos e pertencem à laboratórios que testam em animais). Acho válido investir em alternativas naturais - e muitas delas são eficazes - quando se quer evitar cosméticos não-veganos. 

* Observação: alguns óleos essenciais são contra-indicados em casos de: alergia, gravidez, pressão alta, epilepsia, ferimentos abertos, diabetes, erupções cutâneas.



As formas de uso que eu experimentei até agora foram:

- Como solução na máscara de argila verde



Misturo 1 colher de argila verde com 1 colher de hidrolato mais 1 colher de água ou chá pronto.
Ambos ajudam na cicatrização de espinhas, diminuição de cravos, ativar a circulação e remoção de oleosidade. Deixo a máscara agir por 10-15 minutos e enxáguo. É importante hidratar bem a pele em seguida.

- Como tônico adstringente
Não borrifo na pele, mas em um algodãozinho. Achei que borrifar diretamente irrita um pouco a pele. Não é tão eficaz em remover resíduos de maquiagem ou sujeira na pele, mas remove oleosidade. Aplico ao acordar. Também misturei no meu tônico caseiro e ficou maravilhoso!! Gostei tanto que nem quero usar outro. Ah, e usar geladinho é excelente para fechar os poros. Receita nesse post.

- Spray para desodorizar os pés
O tea tree tem ação bactericida e fungicida. Por essa razão eu aplico depois do banho com os pés limpos e evito proliferação de fungos e bactérias.

- Secativo de espinhas
Olhando a composição de alguns secativos naturais de espinhas, vi que o OE de tea tree era o agente principal deles junto com a lavanda. A vantagem dele é que não provoca ressecamento em volta da pele como o ácido salicílico, por exemplo.
Apesar de poder usar o óleo essencial de tea tree na região da espinha com uma haste de algodão, o hidrolato é uma alternativa mais suave para quem tem pele sensível e também ajuda a cicatrizar. Eu não tenho problemas com o OE, então eu ainda prefiro usá-lo quando tenho alguma inflamação/espinha.

O hidrolato da Herbia custa R$22,90 no site da Herbia.

A assessoria da Herbia me enviou o hidrolato para teste. A resenha foi feita baseada na minha opinião sincera e o resultado na minha pele. O resultado pode variar de acordo com o tipo de pele de cada um. 


terça-feira, 22 de outubro de 2013

Corretivo Full Coverage da NYX



Estava precisando de um corretivo com cobertura mais alta, já que o último que comprei (da Catrice) não cobria muito bem marcas e espinhas. Já tinha usado o Concealer in a Jar da NYX e vi que o Above & Beyond Full Coverage era similar.

A NYX é uma empresa cruelty free e se recusou a entrar no mercado chinês, conforme declaração que deram para a PETA recentemente (leia aqui). No entanto nem todos os produtos são isentos de ingredientes de origem animal, alguns levam lanolina, por exemplo. E eles não informam exatamente quais produtos são veganos. Segundo o SAC, é preciso ler a composição.

Olhando pela composição, é possível notar que o corretivo Full Coverage não contém nenhum ingrediente de origem animal.


A consistência é cremosa e fica sequinho na pele, por isso considero um corretivo bom não só para peles secas/normais como para peles mistas e oleosas.

A aplicação é fácil e uso dando batidinhas com o dedo na pele, sem esfregar. Sinto que com um pincel de corretivo (uso o da EcoTools) não fica tão bom, mas caso não queira ficar com as unhas sujas, é melhor usar o pincel!

Felizmente não tenho muitas olheiras, por isso não sei dizer bem como ele se comporta na região abaixo dos olhos. Senti que o corretivo da Catrice (resenha aqui), por ser mais cremoso, é mais fácil de espalhar nessa região, e ambos não acumulam nas dobrinhas. Na minha opinião, o da NYX, que possui textura menos cremosa, é mais indicado para cobrir outras imperfeições na pele, como manchas, marcas e espinhas.

A cobertura é média e dá para aplicar mais camadas até ficar com mais cobertura. Mesmo assim na pele fica bem levinho e natural. Já usei corretivos que cobriam mais que ele, mas estou satisfeita com a cobertura de imperfeições. Acho ótimo para o dia a dia.

Antes e depois

A duração é boa, não senti que sai rápido como alguns disseram no MakeupAlley. Depois de algumas horas começou a sair e perder a intensidade. Lembrando que ultimamente aqui está fazendo MUITO calor.

Para referência, a cor Beige 04 é comparável à cor NC30 da MAC (Studio Fix), mas um pouco menos amarelado.

Com flash e sem flash

Considero um ótimo custo-benefício. No exterior o corretivo custa em torno de $5 dólares e aqui é possível encontrar por R$20 em lojinhas online e no Mercado Livre. No quiosque da NYX no Brasil custa R$67. Sei que tem um na galeria da Rua Augusta em São Paulo. Os preços são bem mais caros, mas dá pra ver as cores, testar produtos e ler a composição. Vem 6 gramas.

domingo, 20 de outubro de 2013

Testes em animais: um mal necessário?


Diante da indignação dos ativistas ao Instituto Royal (laboratório que realiza testes em animais para grandes empresas), um dos comentários mais comuns que leio de quem se opõe aos ativistas é: "teste em animal é um mal necessário". Dizem que é aceitável sacrificar o interesse de alguns em benefício do bem estar geral.

Pra começo de conversa, o que eu venho reparando é que as pessoas pensam que os ativistas de defesa dos animais e veganos em geral são ingênuos, bobinhos, são pouco estudados e não sabem nada de ciência.

Essa mentalidade está bastante evidente nos recentes debates sobre o resgate de cães no Instituto Royal. Abundam nos sites de notícias e nas redes sociais pessoas dispostas a dar aulinhas online de biologia e ciência em geral para justificar o uso de animais em pesquisas. A conversa sempre começa com o sujeito citando o seu currículo como forma de dar credibilidade ao que vai falar "sou mestrando em biologia... sou doutor em medicina... sou doutoranda em sei lá o que..." e dá-lhe "aula" e argumento de autoridade para os pobres ativistas incultos que não sabem nada!

Preparei, então, um texto baseado nos comentário dos diversos "cientistas de facebook".


1) Conhecimento científico merece credibilidade, o cientista nem sempre.

Essa é uma confusão que muitas pessoas fazem. O conhecimento cientifico funciona, melhora a vida das pessoas e a ciência merece a bela reputação que tem. Já os cientistas acabam herdando essa reputação como se fossem as pessoas mais corretas e bondosas do mundo, só porque fazem ciência. Os cientistas são pessoas comuns: sentem raiva, inveja, medo, querem dinheiro, reputação, mentem para garantir o emprego... alguns são pessoas boas, outros não sentem empatia alguma por ninguém, nem por animais...

Imagine um cientista que trabalha com teste em animais há 30 anos. É pesquisador reconhecido, vários artigos publicados, tem vários alunos de mestrado e doutorado, recebe muito $$ dos órgãos de apoio à pesquisa. Vocês acham que um sujeito desse iria abrir mão de tudo o que tem em nome dos animais? É claro que ele jamais iria defender o fim dos testes. Mas ele não pode ir a público dizer que os testes são desnecessários porque o trabalho dele depende disso. Obviamente ele irá dar entrevistas na Globo dizendo como os testes salvam vidas, são importantes para as pessoas e blablablá.

O mesmo ocorre com os "doutorandos de facebook/youtube". O doutorado do cara depende desses testes. Acham que eles iriam jogar tudo pro alto e começar um novo doutorado do zero por causa de ratos e animais "fofuchos" como cães? Entre o doutorado deles e cães, que se danem os cães! Mas eles jamais irão dizer isso no youtube. E dá-lhe explicação científica da necessidade dos testes para os pobres veganos incultos.

Outra coisa: imagine (como exemplo) um cientista que trabalha testando medicamentos em animais há 30 anos. O cara passou a vida nesse tipo de pesquisa e é isso o que ele sabe fazer. Ele sabe testar em animais, mas não faz a mínima ideia sobre como desenvolver programas computacionais que simulam os testes.
Ele não sabe, mas o colega dele da sala ao lado sabe. Quem se tornará o novo cientista top da universidade, reconhecido no meio acadêmico, recebendo fortunas de financiamento de pesquisas? É claro que as pessoas tem medo do novo e vão defender aquilo que elas sabem fazer com unhas e dentes aquilo que sabem fazer. E dá-lhe cientistas defendendo publicamente o uso de animais para "salvar vidas de velhinhos e crianças deficientes"!

Resumo: cientistas não são anjos na terra, mártires dispostos a tudo para salvar vidas humanas. Se fosse assim, não existiriam as doenças negligenciadas (doenças de países pobres que os cientistas não se interessam em estudar porque não haverá retorno financeiro). Cientistas são pessoas comuns, com todas as qualidades e defeitos. E os veganos/ativistas são muito mais inteligentes do que a massa, essa sim ingênua, pensa.

Não sou fã da revista Veja, mas essa entrevista sobre a ineficácia dos testes merece destaque:
“A pesquisa científica com animais é uma falácia”, diz o médico Ray Greek


2) "O Ministério Público não verificou maus tratos aos cães no Instituto Royal". "O Instituto Royal só faz pesquisas aprovadas pela Anvisa e pelo comitê de ética". "Os procedimentos estavam de acordo com as leis brasileiras"

Isso não significa nada. A definição de maus tratos é completamente vaga. Para muitas pessoas, se o animal não está mutilado sem anestesia e gritando de dor, então não há maus tratos. Se ele tem água e comida, pronto. Tem tudo o que ele necessita.

Prender um animal num cubículo pro resto da vida é maus tratos? Pra 99% dos cientistas, pro comitê de ética, pra polícia e pra Anvisa, não.

Eu já vi pesquisa de medicamento pra dor onde os ratos eram torturados e a eficácia do medicamento era medida pelo tanto que os ratos contorciam de dor. O aluno de doutorado ria sem parar durante a apresentação dos resultados, não teve nenhuma vergonha em mostrar ratos sentindo dor ao público, a orientadora não estava nem aí pro ratos e o teste foi aprovado pelo comitê de ética da universidade. Ser aprovado por comitê de ética não significa porcaria nenhuma a não ser pros leigos que obtém conhecimento através da televisão.

Infelizmente tive o desprazer de conhecer um membro do comitê de ética da UFMG. Ele é biólogo, odeia vegetarianos e fala publicamente que não dá a mínima pra animal algum. Me disse sem remorso que aprovará qualquer projeto que envolva animais. Isso é pra provar que cientistas não são esse poço de bondade e ética que a imprensa e eles próprios querem fingir que são. Inteligência é uma coisa, bondade e ética é outra coisa completamente diferente. Não é porque uma pessoa sabe resolver uma equação complicadíssima que ela é uma pessoa boa e justa.

Lei de proteção animal não existe no Brasil, por isso você pode fazer praticamente o que quiser com um animal e ainda assim estará dentro das leis. Pegue um porco, castre-o sem anestesia, arranque os dentes no alicate, queime-o com ferro quente, mantenha-o confinado por toda a vida e depois mate-o com uma facada no quintal da sua casa e faça uma feijoada caseira pra você e seus amigos. Você estará 100% de acordo com a lei brasileira.


3) Testes de cosméticos em animais são proibidos na Europa, mas no Brasil são permitidos. Por quê?



Por que não há interesse social no Brasil em banir os testes. Por isso achei tão importante a invasão do Royal. Como estão dizendo, o objetivo não é meramente liberar alguns cães. O grande objetivo é iniciar o debate sobre a utilização de animais em testes científicos. Debate que NUNCA foi feito até então no Brasil. Ninguém aqui nunca ligou pra isso.

Se a sociedade não cobra e tudo está funcionando muito bem do jeito que está, mudar pra que? Pra que alguém iria investir num processo mais caro se todo mundo aqui já está habituado a testar em animais, que são "matéria prima" barata e abundante?

É importantíssimo que a sociedade se posicione contra esses testes e cobre mudança. Queremos a implantação imediata dos métodos alternativos que já existem e queremos o financiamento de pesquisas que busquem produzir métodos que ainda não existem.

Os órgãos financiadores só vão aceitar investir dinheiro em pesquisas de métodos alternativos se eles forem pressionados. Se ratos, coelhos e cães são baratos e todos os cientistas os usam satisfatoriamente, pra que o CNPq (por exemplo) iria investir milhões em uma pesquisa de métodos substitutivos?

Mas não se enganem: os cientistas que estão acostumados com a situação atual vão lutar bravamente para que nada mude. Mas eles não vão dizer "não atrapalhem o meu doutorado! Eu preciso do diploma!" ou "mas tem 30 anos que eu só trabalho com essa linha de pesquisa! Não saberia mudar completamente de área trabalhando no desenvolvimento de métodos alternativos!". Eles irão apelar para argumentos sentimentalistas como "produzo remédios para crianças doentes! Os testes não podem parar!" e não terão nenhuma vergonha em vir a público dizer cinicamente que eles amam os animais e os tratam muito bem, como o idiota do Royal fez.

Mesmo que o Instituto Royal (e mais todos os laboratórios do Brasil) continuem testando em animais, essa invasão e manifestação repercutiu: toda a imprensa mostrou a realidade que ninguém parecia acreditar. A quantidade de pessoas que se conscientizaram e estão se engajando na causa aumentou muito esses dias. O que os olhos não veem o coração não sente. No momento em que foram mostrados cães, esses seres tão fodas, é impossível não se indignar com instituições que testam neles. Parafraseando as manifestações passadas: não é por 200 Beagles. A invasão foi um marco para mostrar a indignação. Não acho que a repercussão que alcançou seria conseguida fazendo-se batucadas na av. Paulista.


4) "As moléculas já foram testadas no passado, tudo o que usamos hoje um dia já foi testado em animais. Precisamos testar em animais para obter resultados confiáveis."



Assim como não podemos mudar o histórico de escravidão ou os testes dolorosos em judeus pelos nazistas, também não podemos mudar o fato de que muitos ingredientes usados já foram testados em animais. A questão é que a realidade pode ser mudada a partir de agora. Já foram feitos testes em animais exaustivamente. Os testes provocam dor e sofrimento aos animais e não vale a pena para testar a segurança dos cosméticos, especialmente quando milhares de ingredientes seguros já existem e estão disponíveis no mercado. Mesmo se o uso de animais for necessário no sentido de que precisamos usar animais para conseguir dados vitais, não podemos justificar o uso de não-humanos para tal propósito. 

Quando dizemos que os humanos têm o “direito” de não ser usados para esse propósito, isso significa simplesmente que o interesse dos humanos em não ser usados sem seu consentimento em experimentos será protegido, mesmo que as conseqüências de usá-los sejam bastante benéficas para as outras pessoas. O conhecimento científico nunca avançou tão rápido como no período do nazismo, quando se faziam testes em judeus. A pergunta que devemos fazer, então, é: por que nós achamos que é moralmente admissível usar animais em experimentos, mas achamos inadmissível usar humanos?

Por que consideramos os animais sem pestanejar como meros objetos descartáveis à disposição das finalidades humanas e ao mesmo tempo em hipótese alguma permitiríamos o uso meramente instrumental de seres humanos com severas deficiências cognitivas? Afinal, os órgãos destes últimos poderiam ser a única alternativa para salvar a vida de um ser humano produtivo e com plena posse de suas faculdades mentais.

Todos os seres humanos, com a exceção de alguns casos de anencefalia ou de estado vegetativo, têm o direito de ser considerados como fins em si mesmos única e exclusivamente por serem sencientes, e não por serem racionais. Logo, todos os seres sencientes também deveriam ser tratados do mesmo modo.


5) Boicote de empresas funciona?

Além de não testar o produto final em animais, a empresa cruelty free não pode terceirizar testes dos ingredientes

Mesmo que boicotar empresas que testam em animais não funcionasse, eu não gostaria de dar meu dinheiro suado para empresas que fazem testes em animais, enquanto há inúmeras empresas que não fazem testes nem terceirizam testes em seus produtos e ingredientes.

Estamos observando um aumento de empresas preocupadas pela questão e que se denominam "cruelty free" por não produzir e vender produtos testados em animais. Se boicotar empresas que testam em animais não funcionasse, por que existem tantas empresas empenhadas em eliminar os testes e deixar claro que não testam?

Sabemos que a grande maioria das empresas só quer saber de dinheiro e a melhor forma de abalar uma empresa é alterar negativamente seu lucro. Se um número significativo de pessoas começarem a boicotar uma empresa e deixar claro que o boicote se deve aos testes feitos em animais pela empresa, é claro que ela passará a investir em métodos substitutos e os abolir. Por outro lado, a pressão que a sociedade faz no governo pode proibir que sejam feitos testes em cosméticos. A Alemanha, por exemplo, proibiu no país que sejam feitos testes de cosméticos em animais desde 1998, ou seja, qualquer marca de cosmético alemã (Alva, Balea, Alverde, Essence, Catrice, Weleda etc) é livre de crueldade, a não ser que seja comprada por outra empresa que testa, como é o caso da Wella, que foi comprada pela P&G (empresa que faz testes em animais).

E são manifestações como as que ocorreram no Instituto Royal, capazes de mostrar à sociedade e ao governo a insatisfação da situação em que animais são submetidos nessas instituições. Só assim haverá demanda por métodos substitutivos e uma posterior proibição deles no país.

Infelizmente os remédios ainda continuam sendo todos testados em animais e muitas pesquisas continuam sendo feitas, outros seres tão sencientes como nós são torturados em nome da ciência, mesmo que este uso só se justifique para lançar mais um tipo de batom no mercado, testar armamentos ou acrescentar mais um título acadêmico ao currículo de alguém mais "iluminado".

Ainda não é possível boicotar certos remédios por enquanto, mas não me sinto uma hipócrita por isso. Fazemos o que está ao nosso alcance. A nossa luta não é por coerência de atitudes. A nossa luta é para um mundo melhor. Agir 95% a favor dos animais ainda continua sendo uma contribuição por um mundo melhor do que não fazer absolutamente nada.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Limpeza de pele caseira

Na maioria dos salões de estética é super complicado encontrar alguém que utilize somente produtos veganos e/ou naturais. Antigamente eu ia em uma esteticista fazer limpeza de pele para remoção de cravos do rosto (tenho muitos, infelizmente) e eu sei que elas utilizam produtos que muito provavelmente não são veganos. Ainda bem que a limpeza de pele para remoção de cravos pode ser feita em casa com produtos veganos.

Um pouco da minha história: nunca tive muitas espinhas (só na tpm), mas sofro com cravos desde a adolescência e já testei produtos de tudo quanto é marca, já gastei muito dinheiro usando produtos da Nivea, Avene e Clinique, por exemplo. Nada resolvia e eu sempre acabava espremendo e machucando mais a pele. É decepcionante não obter resultados pelo preço que eu pagava. Se não apertar os cravos com os dedos, eles não saem sozinhos dos poros. Cheguei a ir em uma dermatologista que me indicou um ácido em gel. Os cravos sumiram e a pele ficava lisa, mas os efeitos colaterais não compensavam, já que ficava com pele descamada, saindo pelinha, ressecada, irritada, vermelha...um horror. Sem contar que deve se tratar de um medicamento testado em animais e seu uso deve ser contínuo e para sempre. Hoje eu aprendi a lidar com isso, entendi que se trata de um problema hormonal (genética zuada mesmo. Meu irmão teve que tomar Roacutan, então no final das contas eu tive sorte, nem chega a ser um problema).   

No meu caso, a melhor forma de contornar o problema é manter a pele sempre limpa, tonificada e hidratada e nunca deixar de retirar a maquiagem antes de dormir e de preferência, limpar a pele de 2 a 3 vezes por dia. Além desses cuidados diários, o que me ajuda é fazer uma limpeza de pele mais profunda com certa frequência. Esses passos podem ser feitos toda semana ou de 15 em 15 dias, dependendo da necessidade de cada um - ou da paciência. Dá trabalho, mas eu me sinto muito bem me cuidando, é como exercício físico, um esforço contínuo e os resultados são visíveis. Chega de blá blá blá!

Passo 1 - Lavar a pele com um sabonete 


O que eu estou usando é o sabonete de argila da Cativa Natureza. Ele faz uma limpeza mais profunda e é indicado para peles oleosas. Mas pode ser qualquer sabonete, não precisa ser dessa marca. Comprei ele recentemente e assim que tiver uma opinião formada, farei resenha.

Passo 2 - Vaporização para dilatar os poros



Essa etapa é importante para que os poros se abram e a remoção dos cravos seja mais fácil e não deixe a pele com muitas marcas. Quanto mais os poros estiverem fechados, pior para espremer, já que vai machucar muito mais a pele. Por isso, tente não apertar a pele depois de usar um tônico adstringente (fecham os poros).
Para fazer a vaporização, ferva 1 litro de água e coloque em uma vasilha. Se quiser acrescente flores secas de camomila ou lavanda usada em chás (opcional), 2 gotas de óleo essencial de eucalipto e de hortelã-pimenta. Os óleos essenciais são descongestionantes, ativam a circulação e tem um cheirinho maravilhoso. 
Deixe o vapor subir para o rosto por 10 minutos e tome cuidado para não se queimar. Use uma toalha para cobrir a vasilha em direção ao rosto e aumentar a vaporização. É como se fosse uma sauna para o rosto.


Passo 3 - Esfoliação



Com a mesma água da bacia, misture um pouco com aveia em flocos e passe no rosto fazendo movimentos circulares. É meio estranho mas a aveia é um ótimo esfoliante tanto para peles oleosas, como secas. Caso tenha um esfoliante facial em casa, também funciona. É o esfoliante que irá remover células mortas, ativar a circulação e ajudar a remover cravos superficiais. Mas nenhum esfoliante abrasivo tem a capacidade de remover os cravos por completo.
Obs: no momento de enxaguar a aveia, é bom colocar uma peneira para evitar entupir a pia! 

Passo 4 - Extração de cravos com os dedos


Nessa fase é importante que não se use unhas ou dedos diretamente na pele. As bactérias das mãos provocam inflamação e espinhas! O ideal é proteger com um lenço limpo e fino ou usar uma luva. É muito importante que se retire o cravo por completo. Se ele ficar pela metade, vai inflamar! O método menos agressivo é esticar antes a pele com os dedos e só depois espremer, a dor é bem menor e marca menos.

Passo 5 - Tonificação

Depois de remover os cravos, é hora de matar as bactérias que ficaram na pele (morram suas malditas!!!). O óleo essencial de tea tree é comprovadamente um bactericida e fungicida. Há vários estudos mostrando que ele é eficaz contra a acne (falarei sobre ele em um outro post). Estou usando o hidrolato de tea tree da Herbia (resenha aqui). Além dele, uso outro tônico caseiro muito bom e a receita está neste post

Passo 6 - Máscara de argila verde


A máscara de argila vai ajudar a secar e cicatrizar a pele. Ela suga toda a oleosidade e ativa a circulação do rosto. Caso não tenha a pele oleosa, a argila branca pode ser usada também. Misture a argila com o hidrolato de tea tree, água com a camomila da vaporização ou água pura. Existem máscaras de argilas prontas como a da Alva e da Arte dos Aromas. Deixe agir por uns 10-15 minutos e retire com água.

Essa argila eu comprei no Mercado Central em BH por menos de R$10! (Alguém sabe porque algumas argilas são tão mais caras?) O hidrolato de tea tree auxilia na cicatrização e remove oleosidade junto com a argila. Estou usando esse da Herbia.

Passo 7 - Hidratação


Para não dar efeito rebote, é importante hidratar a pele com um hidratante potente. Eu revezo óleo de jojoba puro e o hidratante facial orgânico da Arte dos Aromas, já falei aqui muitas vezes sobre ele! Mas eu realmente gostei da forma como ele agiu na minha pele. Evite sair no sol nesse dia e passe um protetor solar. 

Compra na Casa Santa Luzia em São Paulo!

Se você estiver com fome ou de dieta, não leia o post. É muita delícia junta!

#projetoverãoquesefoda

Sem querer eu descobri o supermercado Santa Luzia em São Paulo e, pra minha surpresa, ele tem um andar dedicado a alimentos vegetarianos, veganos e orgânicos!!! Quero muito um aqui em BH! Se pude$$e teria comprado tudo, mas os preços são um pouco salgados e eu teria que levar de volta pra BH. 

Apesar de me alimentar bem na maior parte do tempo (como muita verdura, legumes, frutas, grãos e cereais integrais), acho que a vida é muito curta pra não ter prazer em se alimentar de vez em quando. E dá pra se alimentar com prazer sendo vegano! Não que eu não tenha prazer em comer frutas, mas sorvetes tem sempre um espaço no coração e na barriga.

Comprei os queijos veganos sabor Americano e Mozzarella da Tofutti por R$26 cada, os sorvetes veganos: Vanilla Almond Bark e Better Pecan por R$17 e uma caixa do chocolate branco da Tri Gostoso por R$40. Já falei dele aqui

Primeiramente, os queijos veganos DERRETEM de verdade! É possível que eles enganem as pessoas e confundam com muçarelas convencionais. Achei a textura muito parecida e tem a vantagem de serem mais leves. O sabor é mais suave que o de um queijo comum.

A única desvantagem mesmo é o preço que me desanima pedir pelo site. Por serem importados, o preço aumenta muito. 



Os sorvetes da Tofutti são maravilhosos! Ambos tem gosto predominante de baunilha. O Better Pecan tem nozes com cobertura de caramelo. Já o Almond Vanilla Bark tem amêndoas cobertas de chocolate. Achei que o de amêndoas quebrou um pouco a onda, por causa das amêndoas, que não são tão doces como as nozes, mas não deixa de ser uma delícia! Lembra muito o sorvete de baunilha convencional de fast food, mas menos gorduroso

No finzinho! :´-(


Comprei também os "Cuties" (sanduíches de sorvete) no Pão de Açúcar da Consolação, mas comi tudo ao sair do supermercado e não lembrei de fotografar. São mais caros e tem o mesmo sabor que o do pote! Acho que não compraria de novo por causa do preço (R$28)!

O supermercado Santa Luzia fica na Alameda Lorena, 1471 quase esquina com a Rua Augusta, em São Paulo.

Os queijos Tofutti podem ser enviados para todo o Brasil pelo site

Obs: Mandem e-mails para a Tofutti e para os supermercados de sua cidade cobrando a venda desses produtos!

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Preferidos dos últimos tempos - Parte 2

Continuando a primeira lista de preferidos que eu postei aqui no blog, essa é uma outra lista de produtos preferidos. A maioria eu já citei em posts anteriores.


  1.  Leave-in Color Fixation da Surya. Deixou o meu cabelo macio, hidratado e não pesa nos fios. Sabe aquele produto que quando a gente usa, não faz muita diferença, mas quando deixo de usar, parece que falta algo, que o cabelo fica mais rebelde? Já falei dele aqui.
  2. Sabonete líquido de argila da Força da Terra. Faz uma limpeza bem profunda na pele e retira qualquer vestígio de oleosidade e sujeira. Não recomendo para quem tem pele normal ou seca. Ele realmente suga a oleosidade devido à presença da argila verde. Contém sulfato também, então pode ser um pouquinho agressivo em peles sensíveis. Achei legal que o rótulo afirma que não há ingredientes de origem animal
  3. Óleo de coco extra virgem orgânico da Fino Coco. Não precisa ser dessa marca. Para mim o óleo de coco é um must have de beleza. É um produto curinga: pode ser hidratante corporal, hidratante capilar, de cutículas, antes e depois da depilação com lâmina, vai bem como esfoliante corporal junto com açúcar e ainda tem um cheiro maravilhoso. Se o seu cabelo precisa de um SOS, tente fazer umectação com óleo de coco puro. Apesar de já ter experimentado vários óleos bons para o cabelo, o de coco foi o que mais me adaptei. Vale a pena pesquisar sobre seus benefícios e aplicações diversas.
  4. Hidratante facial orgânico Arte dos Aromas. Rumo ao 3º potinho! Me dei super certo com esse hidratante. Ele é levinho, deixa a pele macia e hidratada sem deixar oleosa. Possui perfume neutro. Apesar de não especificar qual tipo de pele é adequado, diria que é para peles mistas e oleosas (meu caso).
  5. Óleos essenciais de tea tree e lavanda. São óleos essenciais curingas e podem ser usados de várias formas. Vale a pena pesquisar sobre os benefícios de cada um. Tem que usar com cuidado já que são concentrações altas. Gosto de usar  diluindo em cremes e em óleo de jojoba. Eles são mais indicados para peles com tendência a oleosidade e acne.
  6. Desodorante Crystal Fresh. Simplesmente foi a melhor descoberta pra mim! Dura horrores (mais de ano) e é super eficaz. Comprei um para minha mãe e quando perguntei se ela tinha gostado, a resposta foi: "maravilhoso!" Resenha aqui.
  7. Pincéis de base e blush da Real Techniques. São pincéis relativamente baratos, de excelente qualidade (cerdas sintéticas) e desempenho surpreendente. O pincel de blush é extremamente macio e as cerdas fininhas fazem com que seja impossível errar na mão, o aspecto fica super natural. O blush nunca fica pesado quando uso ele. O pincel de base eu uso com minhas bases minerais em pó. Já com bases líquidas/cremosas não sou tão fã. Resenha aqui.
  8. Trio de sombras Walking on Eggshells da Wet n Wild. Essas sombras (que são uma das poucas paletas veganas da marca) são pigmentadas e neutras. Apesar de esfarelar um pouco, gosto muito do efeito delas, espalham facilmente e duram muito. A cor mais clarinha fica lindíssima como iluminador na bochecha também. Resenha aqui.
  9. Máscara de cílios Mineral Infused da Elf. Gosto muito porque esse rímel deixa um efeito natural quando passo uma camada, mas também é capaz de dar volume e alongar sem criar gominhos. Resenha aqui.
  10. Lixa de unha de cristal. Essa lixa a minha mãe trouxe de viagem pra mim, mas dá para encontrar fácil no Mercado Livre ou em perfumarias. Nunca tinha usado ou ouvido falar, mas dizem que é super famosa na Europa. Acho legal não ter que ficar comprando lixas e mais lixas a vida inteira, já que a duração dessa de vidro é quase infinita! E outra vantagem é que por não possuir fibras como a convencional, não quebra e descama as unhas. Ela também é lavável e não acumula fungos e bactérias como a de papel. Coincidência ou não, depois de alguns meses usando, as minhas unhas estão muito mais resistentes e raramente lascando! 

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Makes Genéricas ("Dupes") - parte 2

Continuando o post sobre maquiagens similares, vou mostrar as opções veganas e mais baratas para servir de substituição às maquiagens mais caras e não cruelty free. A parte 1 eu falei nesse link.

A intenção destes posts é ajudar quem quer muito comprar uma maquiagem de uma cor mas descobre que não é cruelty free. Infelizmente tudo que eu vou mostrar é importado. São raras as empresas nacionais que respondem de maneira confiável meus e-mails sobre quais ingredientes de origem animal utilizam. Algumas coisas da Elf e WnW dá pra comprar de lojinhas nacionais ou até no Mercado Livre. De qualquer forma, vou tentar insistir com os SACs das empresas e procurar mais substitutos veganos nacionais.

Se alguém conhecer mais dupes, por favor deixe a dica nos comentários!

1. Batom MAC Hug Me x Wet n Wild Bare it All
As cores são idênticas, mas o acabamento é diferente. O Hug Me é mais cremoso e tem acabamento lustre, enquanto o Bare it All tem acabamento matte e é mais sequinho. Os batons da Wet n Wild custam menos de $5 dólares.



2. Batom MAC Hue x Silk Naturals Bloom
A cor é um pouquinho diferente, o Hue é menos rosado, mas o acabamento é muito parecido. O Bloom contém cera de abelha, mas a Silk Naturals possui uma linha enorme com batons veganos e lindíssimos, alguns denominados clones de marcas famosas.



3. MAC Black Tie x Urban Decay Creep x Too Faced Ooh & Aah Black x Lucy Minerals Charcoal Liner 
As cores mais pigmentadas não são dos produtos veganos (Too Faced e Lucy Minerals)? Eu amo sombra preta com glitter/cintilante e a mais fraquinha é a sombra da MAC em termos de pigmentação. A sombra da Lucy Minerals é um delineador em pó. Mas uso como sombra, como já mostrei aqui.



4. Urban Decay Smog x The Body Needs Antique Gold
As cores são um pouquinho diferentes, mas o acabamento de ambas é um bronze metálico maravis. A diferença é que a sombra da TBN é em pó solto e custa menos de 1/4 do valor da sombra da UD.


5. MAC Crystal Avalance x Coastal Scents Cool White x Wet n Wild Walking on Eggshells Trio
O acabamento aveludado da Crystal Avalanche é similar ao Cool White, enquanto a da WnW tem mais shimmer. O pigmento da Coastal Scents é em pó solto e custa menos de 1/5 do preço em comparação à sombra da MAC.




6. Blush MAC Blushbaby x Silk Naturals Maybe Baby
A cor é idêntica e é chamado de clone pela empresa, mas o acabamento e a pigmentação são um pouco diferentes. O blush da Silk Naturals possui seda na composição, mas existem vááários blushes veganos aqui. Já mostrei swatches de blushes da Silk Naturals com comparações nesse post.



Outros genéricos veganos:

  • Batom MAC Diva = Batom Wet n Wild Cherry Bomb (Swatch aqui)
  • Batom MAC Rebel = Batom Wet n Wild Sugar Plum Fairy (Swatch aqui)
  • Blush Nars Orgasm = E.L.F. Twinkle Pink
  • Batom MAC Creme D'Nude = E.L.F. Natural Nymph
  • Pigmento MAC Vanilla = Silk Naturals Sonic
  • Iluminador Nars Albatross = E.L.F Gotta Glow
  • Paleta Urban Decay Naked = Silk Naturals UD Naked Palette Clone Set


quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Rodízio japonês vegano em BH!

Fico tão feliz de ver a evolução das opções veganas em restaurantes de BH!! Antigamente dava preguiça sair pra comer fora de casa, mas hoje consigo ver que há cada vez mais restaurantes oferecendo, mesmo que sejam somente opções veganas.

O Yukai é um restaurante de comida japonesa em Belo Horizonte e incluiu no cardápio recentemente um rodízio totalmente vegano, contendo pratos quentes, sushis, temakis, sopas, robatas, rolinho primavera etc.

Eu tinha o hábito de ir lá com uns amigos que adoravam o lugar, mas eu só pedia porção de shimeji no azeite e deixava claro para os garçons e à gerente que eu e meu namorado éramos veganos e que eles deveriam ter mais opções para os veganos. A comida japonesa é muito diversificada e permite variações de pratos totalmente isentos de ingredientes de origem animal.

Acho importante esse "ativismo" vegano. Sempre que for em restaurantes, deixe claro que é vegano e que há público, caso o restaurante inclua opções veganas. Nem todos os restaurantes irão aderir, mas se todos os veganos deixarem claro a sugestão, certamente perceberão que podem ganhar clientes. E qual o restaurante que não quer isso?

O ambiente é bacana e o atendimento é ótimo. Só não gosto mesmo do aquário.

Enfim, para quem se interessou, vou mostrar os pratos que eu escolhi.

Obs: comi igual a um pedreiro!


Robata de tofu

Conserva de pepino com gergelim e shimeji na manteiga vegan

Temaki de shimeju

Makis de legumes

Tepanzinho de legumes na manteiga vegan

Rolinho primavera de legumes

Missochiro

A página do Facebook é https://www.facebook.com/YukaiCozinhaJaponesa


  • Endereço: Rua Grão Mogol, 1045
Telefone 031 3287-3001
E-mail yukai@yukai.com.br



Recomendo também a página do Facebook do Gato Negro para mais opções de onde comer em BH: