segunda-feira, 25 de agosto de 2014

A marca John Frieda é cruelty free?

Existem algumas empresas que simplesmente não constam em listas da PETA ou não possuem um FAQ no site sobre a política de testes da empresa. Por essa razão, é normal ficarmos confusos com determinadas empresas e o melhor a fazer é pesquisar em vários lugares. Caso as informações não parecerem confiáveis e a empresa não responder os questionamentos, eu prefiro boicotar.

Como a John Frieda é sempre questionada por aqui, resolvi pesquisar mais sobre o status da marca. Em minhas buscas, descobri que a John Frieda pertence à KAO Brands


E a Kao Brands, segundo a lista da PETA, faz testes em animais.


Por curiosidade, enviei um e-mail à Kao, perguntando se a empresa realiza testes e se comercializa na China. Responderam que não testam em animais, mas uma das marcas, a Jergens, é vendida na China. Dessa forma, está claro que a empresa testa sim em animais, apesar de alegar que não. Não é por acaso que a PETA considera que a empresa testa em animais.

<consumer@kaobrands.com>

Hello Eliana:

We are pleased to inform you that Kao USA Inc. does not use animals to test any of our products. We closely examine all ingredients and products before they go on the market to ensure that all products meet the safety expectations outlined in the PCPC Consumer Commitment Code, US FDA and EU regulations, and many other recognized regulatory agencies. Additionally, current plans do not include the use of animals in the development of new products.

Jergens products are sold in China.

Thank you for taking the time to contact us.


Sincerely,

Consumer Care Center
Kao USA Inc.
Ban Bioré Curel Jergens John Frieda



Existem muitas empresas verdadeiramente cruelty free com produtos de qualidade no mercado. Portanto, não considero a política de testes da John Frieda/KAO confiável e não merece o meu dinheiro.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Resenha | Desodorante Cristal da Alva


Há pouco mais de um ano eu fiz a resenha aqui no blog de um desodorante de cristal da marca Crystal Fresh. Usei ele diariamente e às vezes até chegava a usar 2 vezes por dia. O cristal ainda nem chegou na metade! Acredito que ele alcança facilmente a duração de 2 anos.

Naquela época era mais difícil encontrar esse tipo de desodorante e hoje a marca não é mais revendida aqui no Brasil - acho que o revendedor desistiu de trazer - mas atualmente há algumas marcas importadas que podem ser encontradas facilmente aqui no Brasil. Uma delas é a Alva.

Estou usando esse desodorante da Alva há mais de 1 mês e ele é muito parecido com o que eu já usava. A diferença é que ele é composto por alúmen de amônio e o outro era de alúmen de potássio. Ambos são um sal (íon de um metal + íon de um ametal). Algumas pessoas me perguntaram se tem alguma diferença, mas eu não percebi nenhuma. Ambos são eficazes, hipoalergênicos, não contém perfume, não deixam manchas nas roupas, não deixam resíduos nas axilas, não irrita a pele, não possui álcool, parabenos, não é testado em animais e não contém ingredientes de origem animal. 

Para usar basta umedecer a pedra com água (ou com hidrolato se preferir) e aplicar diretamente nas axilas limpas. A melhor hora é após o banho, quando a pele está úmida e limpa. É necessário que o cristal seja molhado para que ele dissolva o sal na pele.


Quando o cristal é molhado, ele dissolve e forma um filme antibacteriano na pele e pode durar até 24 horas.

A pedra de alúmen também pode ser usada para estancar pequenas feridas e acelerar o processo de cicatrização. Algumas pessoas usam em espinhas, mas apesar de observar que elas realmente secam mais rapidamente, eu achei que resseca muito a pele ao redor da espinha. Alguns homens também usam após fazer a barba.

Peso: 90g

Na minha opinião, o desodorante de alúmen é uma alternativa vegana muito mais econômica e ecológica que os desodorantes convencionais. Para exemplificar esse fato, fiz uma conta. 

Imagine que você gaste 1 desodorante por mês e esse desodorante custe 10 reais. Multiplicando por 12, em 1 ano, se gasta 120 reais e em 2 anos, R$240! Além disso, a cada desodorante convencional comprado, é uma embalagem a mais. Dessa forma, economiza-se aproximadamente 150 reais em 2 anos e deixa-se de descartar 23 embalagens plásticas (ou metálicas).

Preço do desodorante de cristal: R$ 89,90
1 desodorante por mês = R$10
12 desodorantes por ano = R$120
24 desodorantes em 2 anos = R$240

Economia: 240 - 90 = R$150

Ele pode ser comprado na loja Mens Market.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Feira de orgânicos Terra Viva em BH


Depois de assistir os documentários "O perigo está na mesa", passei a me preocupar mais com os agrotóxicos que estão presentes nos alimentos. Aos poucos tenho procurado locais de vendas de orgânicos e tento priorizá-los sempre que possível. Em uma dessas buscas, encontrei a feira de orgânicos "Feira Terra Viva" no bairro Santa Tereza. São vendidos produtos agroecológicos, orgânicos e artesanais. É possível encontrar verduras, frutas, cogumelos, pães, produtos naturais, artesanato e cosméticos naturais e orgânicos.

Alguns produtos são realmente mais caros que os convencionais vendidos em supermercados, sacolões e feiras de rua, no entanto, penso que as vantagens que esse tipo de produção acarreta no meio ambiente, na nossa saúde e na saúde dos produtores, compensam.


Alimentos orgânicos Vista Alegre

Frutas, verduras e legumes com certificação orgânica da Fradhe Orgânicos

Cosméticos da Alva, Phytoterapica, Sal da Terra, Bioart, Alba etc. Loja Seja Bio

Produtos Shanti. Nem todos os produtos são veganos. 

Pães artesanais feitos com ingredientes orgânicos e fermentação natural. A broa contém ovos.


Almoço com alimentos orgânicos - R$20 

Esse é o pão de queijo com batata doce e chia da marca Shanti. É vegano e delicioso:

Pão de queijo vegano Shanti. Adorei!



A feira acontece todos os sábados de 9 às 14h numa casa charmosíssima na Rua Capitão Procópio, 18, bairro Santa Tereza - Belo Horizonte.

Site: http://www.feiraterraviva.org/
Facebook: https://www.facebook.com/redefeiraterraviva/

Para mais locais de feiras de orgânicos, veja aqui

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Batom Fearless da Elf


O batom Fearless pertence à linha Essentials da Elf, juntamente com outras 10 cores. Ele é um vermelho clássico bem aberto, extremamente pigmentado e tem acabamento "glossy"/semi matte. 

Antes de testar esse batom, já tinha visto ele em destaque em sites e blogs gringos. Ele é muito elogiado e até é citado como um dos batons vermelhos mais bonitos que existem por aí. 

Com flash e sob a luz do sol

Eu gostei muito dele e fiquei curiosa para testar outras cores. Na minha opinião, estes são os prós e os contras:

Prós:
- A Fearless é uma cor que fica bem em todo mundo, desde as peles mais pálidas até as peles negras.
- A textura é muito macia e cremosa
- Possui longa duração nos lábios
- Possui um cheirinho de chiclete
- Excelente custo-benefício

Contras:
- Difícil de aplicar, por isso recomendo o uso de um lápis vermelho para delinear (assim como vários batons escuros).
- Por possuir longa duração, ele mancha os lábios, por isso não é muito fácil remover (ou seja, pode ser uma vantagem ou uma desvantagem).

Ingredientes: 
Hydrogenated polyisobutene, Ozokerite, Polyisobutene, Bis-Diglyceril, Polyacyladipate-2, Mineral Oil, Caprylic Triglyceride, Polyethylene Wax, Cetyl Ethylhexanoate, Microcrystalline Wax (Cera Microcristallina), Methylparaben, Propylparaben, BHT, Tin Oxide, Mica. MAY CONTAIN (+/-): Iron Oxides (CI 77491, CI 77492, CI 77499), Manganese Violet (CI 77742), Red No. 40 Lake (CI 16035), Red No. 7 Lake (CI 15850), Red no. 27 Lake (CI 45410), Red Lake No. 6 (CI 15850), Blue No. 1 Lake (CI 42090), Yellow No. 5 Lake (CI 19140), Yellow No. 6 Lake (CI 15985)

Comparação com outros batons vermelhos:


Usando o lápis vermelho da Payot + batom Fearless:

efeito "glossy" super séquiçi!

efeito "matte" com o truque do lencinho + pó facial

Preço: R$12,90 na loja SOS Vegan

Obs: a loja SOS Vegan foi criada com o intuito de trazer maquiagens e cosméticos importados a pronta entrega para facilitar a vida de veganos (ou pessoas que procuram produtos veganos) que tem dificuldades em encontrar cosméticos nacionais a preços justos e não podem comprar no exterior.

Ela sempre renova o estoque e a cada mês traz novidades. Atualmente há batons, blushes, sombras e delineadores da Elf, Wet n Wild etc, todos 100% veganos:


quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Veganismo e o fogo amigo


Venho reparando com certa frequência que alguns movimentos como o veganismo e o feminismo estão sofrendo muito com o fogo amigo. Dentro do veganismo, por exemplo, enquanto as diferentes correntes de pensamento deveriam se unir, estão se atacando. E os maiores prejudicados nessa história, são claro, os animais.

Parece que não existem donos de abatedouros, caçadores de animais selvagens, agressores de animais, defensores de rodeios ou defensores de circos e zoológicos para serem alvos das críticas. As ações dos veganos que estão no mesmo barco e lutando pela mesma causa sempre serão alvos de críticas não construtivas vindas de dentro do próprio veganismo. Enquanto fazemos críticas negativas que não acrescentam nada, discutimos e competimos uns com os outros, o dono da Friboi ri, agradece e enriquece. Já não basta ouvirmos críticas e deboches da sociedade, temos que causar intrigas dentro do veganismo também...

As pessoas são diferentes, mas nem todas estão preparadas para lidar com as diferenças que existem dentro de um movimento como o veganismo. Vou dar um exemplo. Enquanto alguns veganos acreditam que a ação direta é contraproducente para a causa, outros se opõem à abordagem por panfletagem porque eles acham que é algo muito lento e atinge poucas pessoas. O que as pessoas parecem esquecer é que, da mesma forma nós, ativistas veganos temos diferentes formas de defender o direito dos animais, as pessoas que estamos tentando alcançar com a mensagem sobre o veganismo respondem a diferentes abordagens.

Tem muita gente que se tornou vegana assistindo o vídeo da palestra do Gary Yourofsky - A melhor palestra que você irá ouvir na sua vida - a qual eu acho fantástica e me tornei fã dele desde então - mas outras pessoas criticam a postura do Gary na palestra porque ele fala uma ou outra bobagem irrelevante para a mensagem que ele quer passar. Pouco importa se um dos seus argumentos não é totalmente verdadeiro. Ele diz outros 100 que tornam o veganismo válido. E é isso o que importa. Parem de focar num errinho bobo que um vlogger carnista apontou sobre a argumentação e concentrem-se nos argumentos arrebatadores que ele usou durante 90% da palestra.

Um outro exemplo clássico de fogo amigo (veganos atirando contra o veganismo) são as críticas infundadas que muitos veganos fazem sobre a soja. O único efeito que esse tipo de crítica gera é dificultar ao máximo a vida das pessoas e, consequentemente, afastar do veganismo um enorme número de não-veganos que tinham simpatia pela causa. (comentei mais sobre esse assunto neste post)

Se queremos criar uma proposta atraente para as pessoas se tornarem veganas, tá na hora de diminuir a negatividade, parar com as críticas chatas e destrutivas da polícia vegana e nos unirmos para ajudar os animais. Afinal de contas, todos nós estamos tentando alcançar o mesmo objetivo. E ao invés de estarmos criticando e desencorajando pessoas engajadas na causa, poderíamos pensar em maneiras de impulsionar o número de adeptos do veganismo.

Precisamos de empresárixs veganos, celebridades veganas, políticos veganos, blogueirxs veganos, culinaristas veganos, ativistas segurando placas na rua, ativistas protestando contra rodeios, protetores de cães e gatos e todas as pessoas que estão tentando mudar o mundo para melhor. Cada um tem a sua maneira de alcançar pessoas. E todas elas são importantes para ajudar a melhorar a condição dos animais no mundo. 

Tem gente que reclama: - "Ah, fulano quer enriquecer, se promover ou ganhar votos usando o veganismo". Eu acho isso ótimo! Adoraria ver veganos ganhando dinheiro, se elegendo a cargos políticos e aparecendo na mídia através do veganismo/direitos dos animais. Ou vocês preferem que o Bolsonaro, a bancada ruralista e o dono da Friboi ocupem essas posições? Se preferem, ótimo, porque é assim que as coisas são hoje. Adoraria que canais de TV, revistas e jornais se sustentassem devido às propagandas de empresas veganas. Ou vocês gostam de abrir revistas/jornais ou ligar a TV e só ver propaganda de McDonalds, BOB´s, Friboi, Itambé, Parmalat, Sadia, Seara, etc, etc? Porque é assim que as coisas são hoje. Vocês viram quantas empresas exploradoras de animais patrocinaram a copa do mundo no Brasil? Seara, Sadia, Marfrig, Mc Donald´s, Johnson´s & Johnson´s... Quantas empresas veganas patrocinam eventos? Nenhuma.

Claro que não vamos concordar ou apoiar tudo o que todas as pessoas, organizações e grupos dizem e fazem, mas certamente estaríamos fazendo um trabalho muito melhor para os animais se parássemos com tanto mimimi interno e focássemos em algo e em coisas que são mais produtivas.

Não se trata de uma utopia de achar que todos os veganos deveriam andar todos juntos de mãos dadas e cantando num vegnic. É sobre a criação de um movimento unido que tem poder suficiente para realmente fazer a diferença no mundo.

Lembrem-se: estamos lutando contra um hábito profundamente arraigado na nossa sociedade e existe uma poderosa máquina por trás lutando com unhas e dentes para manter as coisas como estão.

Li em um site uma frase muito legal:

"Antes de enviar a alguém uma mensagem negativa [ou crítica não construtiva], talvez seja melhor esfoliar a pele, definir algumas metas de vida e contemplar por que você chegou a este ponto".

Cosméticos veganos vendidos em farmácia. Parte 2 - Protetor solar

Continuando a sequência de posts (a parte 1 sobre produtos para cabelos aqui), hoje mostrarei algumas opções de proteção solar encontrados facilmente em farmácias e/ou perfumarias.

1. Adcos 




O pó compacto da foto não possui nenhum ingrediente suspeito. Apesar da resposta vaga do SAC, recomendo dar uma conferida na composição: 

Serviço de Atendimento ao Cliente <sac@adcos.com.br>

Sra Eliana,
Boa Tarde!

Quanto a sua manifestação, informamos que os nossos filtros não possuem. Todos os componentes ou são sintéticos ou vegetais.

Att,
Elisangela
http://www.adcos.com.br/


2. Ada Tina



Nas embalagens consta a informação de que não testam em animais. A empresa também não possui uma empresa mãe que testa em animais. No site há a informação: 

"TERCEIRO PRINCÍPIO: "RESPEITO AOS ANIMAIS" Os produtos ADA TINA® não são testados em animais e as matérias-primas utilizadas não são obtidas de fontes animais ou por qualquer processo que envolva o sofrimento de animais."

Resposta do SAC:

Fizemos uma análise de toda linha da ADA TINA e encontramos apenas dois produtos com ingredientes de origem animal.

Segue abaixo os produtos e os respectivos componentes:

Protetor Solar Normalize FT Compatto FPS 60:
- Cera Alba (cera de abelha)

Redukine AD:
- Lactose
- Lactis Proteinum (proteína do leite)


Ressalta-se que para produção destes ingredientes, os animais não foram submetidos a qualquer tipo de maus tratos.

Agradecemos o contato e me coloco à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos.

Atenciosamente,
Atendimento ao Consumidor ADA TINA

http://www.adatina.com

3. Payot NÃO É MAIS CRUELTY FREE!

A Payot só utiliza os seguintes ingredientes de origem animal: cera de abelha, lanolina e carmine. Resposta do SAC: 

"Dear Eliana Castro

Thank you very much for your interest in our company and our products.

This is the response from our laboratories to your questions in our site.

We LABORATOIRE Dr N.G. PAYOT, certify that our products are in accordance with the European Cosmetics Regulation 1223-2009.

Our products are not tested on animals in accordance with it, either by us or by a third part.

Moreover, we certify that all ingredients included in the formulas have not been tested on animals.

The only ingredients that are from animal origin in our products are beeswax, lanolin and carmine.

LABORATOIRE Dr N.G. PAYOT has a parent company, whose policy must comply with the European Cosmetics Regulation 1223-2009 applicable to all cosmetic in Europe, this means that we do not test on animals.


Best Regards,

Olga MATTOS
Administrative Assistant
KOSTA ENTERPRISES DBA PAYOT
10800 NW 21 Street Suite 140 | Miami, FL 33172
Tel. 1 888 637 8540 | 1 786 431 2030
Fax 786 513 0382
e-mail: olga@kostaenterprises.com

4. Phytoervas

5. Sol de Janeiro


A marca Sol de Janeiro pertence à Granado e a maioria dos produtos são veganos. Apenas o protetor labial e o protetor solar para tatuagem possuem ingredientes de origem animal. O protetor labial com FPS 8 da Granado é vegano.

http://www.soldejaneiro.com.br/

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

7 formas de intensificar a cor das sombras

Já se deparou com uma sombra de cor linda mas com pigmentação meh? Neste post eu mostrarei vários artifícios que podem intensificar as cores de sombras, tornando-as mais vibrantes.

Para demonstrar, usei as sombras "Screaming Purple" da The All Natural Face e a sombra marrom taupe (3ª da esquerda para a direita) da paletinha Brownstone da Elf (resenha aqui) sobre bases diferentes. Veja como as cores ficam mais intensas:

Screaming Purple da TANF

sombra marrom da paleta Brownstone da Elf

O que pode ajudar:

Primer | lápis branco | lápis preto | Pixie Epoxy | corretivo | sombras cremosas

1. Pincel umedecido com água, gel puro de aloe vera ou glicerina vegetal
Basta molhar o pincel e retirar o excesso. Depois é só aplicar o pincel na sombra para "pegar produto" e pressionar sobre a pálpebra sem esfregar. Expliquei aqui que dá certo para delineadores em pó também.

2. Primer
Geralmente um bom primer consegue potencializar a cor da sombra, além, é claro de aumentar a durabilidade. Tenho usado ultimamente o mineral da Elf e o da The All Natural Face. Adoro os 2.

3. Lápis branco cremoso
O lápis precisa ser cremoso e tende a deixar um fundo mais claro. Fica melhor com sombras claras. Esse jumbo/Diva Stix da TANF eu preciso esquentar no dedo para espalhar bem.

4. Lápis preto cremoso
Funciona bem para escurecer e deixar um fundo escuro nas sombras. Os lápis também aumentam a fixação e a duração das sombras. Quanto mais cremoso e pigmentado, melhor. Usei o da Alva.

5. Pixie Epoxy
Esse produto sensacional é da marca vegana Fyrinnae. Ele é meio chatinho de usar, mas não tem como não se apaixonar por ele. Ele deixa qualquer sombra super pigmentada e com acabamento metálico. O inconveniente mesmo é que ele atrapalha a esfumar a sombra.




6. Sombra cremosa
Escolha uma sombra cremosa com cor semelhante a da sombra em pó. Algumas funcionam também como primer, como as bases da NYX ou as sombras cremosas da Elf.

7. Corretivo
Geralmente eu uso corretivo em último caso, quando não tenho primer em mãos. Ele aumenta a fixação e a pigmentação da sombra, mas dependendo do corretivo, pode acumular nas dobrinhas da pálpebra.



Dica: primers e fixadores de sombras são amigos! Não costumo usar sombra sem algum deles. Por melhor que a sombra seja, sair com sombra sem primer é pedir pra sombra acumular nas dobrinhas. Sem contar na duração que diminui bastante!

Para todos esses artifícios, recomendo NÃO aplicar no côncavo. É a região que costumamos esfumar a sombra e como a função é potencializar a cor, ele vai deixar o esfumado mais escuro e mais concentrado do que deveria, e a ideia do esfumado é justamente uma passagem de cor mais apagada. Se for passar o primer na pálpebra inteira o ideal é passar uma sombra clara ou um pó em cima para o esfumado deslizar melhor.

Opções veganas nacionais:- primer fix da Tracta/Farmaervas
- sombras cremosas da Phebo
- potencializador de sombra/glitter da Catharine Hill
- lápis superpreto da Contém 1g
- Primer de olhos da Contém 1g (o primer fix contém lanolina!)
- lápis bege Duda Molinos (mas não é muito cremoso)