Mostrando postagens com marcador multivegetal. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador multivegetal. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Resenha | Sublime Rituais de Julho


Para quem não conhece, a Sublime Rituais é um serviço de assinatura mensal de caixas contendo cosméticos variados de empresas que não testam em animais e sempre veganos, os quais compõem um ritual de beleza. É uma boa forma de conhecer novos produtos e preparar uns minutinhos para cuidar de nós mesmas. Eu já comentei sobre as edições passadas aqui.

A edição de julho da Sublime foi baseada no tema: "Rituais de Cura". Eu achei que essa caixa foi a mais cheirosa de todas que eu já recebi. Todos os produtos possuem um cheiro muito marcante e, com exceção do creme para pés e do sabonete, todos os perfumes são naturais, provenientes de óleos essenciais e/ou ervas.

Outra coisa que me chamou a atenção foi o fato de 2 produtos virem com extrato de arnica. Eu passei a infância inteira usando arnica para machucados, hematomas (roxos na perna) e picadas de insetos. Era uma infusão alcoólica de arnica que a minha avó plantava, colhia e preparava. A arnica é bastante conhecida por suas propriedades anti-inflamatórias e ação analgésica.

Os produtos que vieram para mim foram:



Gel de Massagem da Multivegetal 




Esse gel é indicado para aliviar incômodos musculares leves e dorzinhas após atividade física intensa. Ele é composto por ervas medicinais como gengibre, arnica, laminária e hortelã. Esses extratos são responsáveis por melhorar a circulação sanguínea, possuem ação anti-inflamatória e criam uma sensação de refrescância, como se o músculo estivesse relaxado e anestesiado por um tempo. O gengibre também já é conhecido por melhorar a recuperação muscular quando ingerido.

Por essa razão, achei que o ideal é usar o gel quando o tempo estiver quente, já que sentir um "geladinho" nas pernas durante o frio não é muito agradável! Eu adoro essa sensação no calor e percebi que depois de uma corrida mais intensa, ele aliviou o cansaço nas pernas.

Apesar de ter amado o cheiro bem forte e a textura do gel para massagear e hidratar as pernas (tem rápida absorção), ainda não sei dizer se compraria novamente. Eu tenho um bom preparo físico e até gosto da dorzinha após musculação/corrida, por isso não sinto necessidade de usar algum artifício além de uma boa noite de sono para melhorar os incômodos. No entanto, acredito que ele possa ser um bom substituto vegano e natural para o gelol e gel de arnica encontrada em farmácias. Por conter arnica, em caso de algum machucado ou hematoma, pode ser útil ter em casa. Quem também pode se beneficiar dele são as pessoas que tendem a ter câimbras.

Creme para pés da Feito Brasil - 



É um creme denso, mas super levinho, refrescante, desodorizante e de rápida absorção. Achei que ele hidratou bem as partes um pouco mais ressecadas no calcanhar e peito do pé, que acabam ficando mais secas devido ao impacto. Gosto de usar uma lixa nos pés e depois hidratar com esse creme. Outro ponto positivo é que ele não deixa resíduo oleoso ou pegajoso.

Pela composição, nota-se a presença de ativos como a manteiga de karité, extratos de menta, sálvia, alecrim, limão e aloe vera, dentre outros.

A fragrância é uma delícia e eu queria muito que a Feito fizesse uma versão dele para o corpo.  Eu já conhecia o creme para pés da Feito com aroma de Patchouli e Violeta, mas achava o perfume enjoativo.

Solução Alcoólica de Ervas da Banhô



Esse foi um dos produtos mais cheirosos! Não conhecia a marca e também nunca tinha usado algo parecido. Ele é um produto multiuso, podendo ser usado para banhos e para perfumar ambientes. Acredito que depois que ele acaba, é possível adicionar mais álcool de cereais e continuar usando. E também acho que quem já possui ervas em casa também consegue fazer um caseiro.

A forma que eu usei foi para limpar a casa. Eu já diluía óleos essenciais de eucalipto e lavanda em solução de vinagre e água para limpar a casa, mas amei o perfume que essas ervas deixam no ambiente. Infelizmente não tenho lareira, mas acredito que deve funcionar também de maneira sensacional para perfumar. Alfazema e jasmim = <3

Sabonete de Lama Vulcânica e Ylang Ylang da Boutique do Corpo




Esse foi o produto que menos gostei da caixa. Não sou fã de Ylang Ylang e achei o perfume enjoativo, um pouco sintético. Uma pena, porque o sabonete tem propriedades interessantes e funcionou até para o rosto. Já conhecia esse sabonete de macadâmia pela Veggie Box, que também o perfume não me agradou muito.

É um bom sabonete, mas sem nada de especial. E é importante lembrar que ele contém sulfato, em caso de alguém querer evitar.

Óleo de Massagem de Arnica da Weleda



É a base de óleo de girassol e oliva. Contém extratos vegetais de arnica e bétula. O perfume é bem característico de ervas medicinais.

Diferentemente do gel de massagem da Multivegetal, que refresca e é rapidamente absorvido pela pele, esse óleo é indicado para acalmar e aquecer. Ambos são indicados para aliviar a dor muscular através de massagens, devido às propriedades anti-inflamatórias da arnica, mas esse óleo da Weleda eu particularmente preferi usar durante o tempo frio, principalmente à noite.

Gostei muito de usá-lo no banho, massageando-o na pele úmida. Depois de longas corridas e caminhadas pela cidade, também gostei de usar na panturrilha.



Revistinha da Sublime. Gostei muito das dicas da Carol Salles para não se estressar tanto no trabalho! Preciso começar a colocá-las em prática!


Quem quiser conhecer mais a Ritual Box da Sublime e as formas de assinatura, recomendo visitar o site

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Produtos que eu não compraria de novo


Às vezes eu sinto que alguns produtos não valeram a pena o investimento. É tão chato jogar dinheiro fora que eu resolvi mostrar aqui alguns produtos que eu não gostei e não compraria novamente. Talvez ajude quem esteja com dúvida em comprar. E é importante dizer que eles não deram certo comigo (seja pela cor errada, pela ineficácia, pelo cheiro etc), mas podem dar certo com outra pessoa. De qualquer forma eu vou dizer os motivos de não terem dado certo e explicar com argumentos do porquê de não querer comprá-los novamente. Não tenho absolutamente nada contra as marcas, apenas não gostei dos produtos em específico.



1. Gel esfoliante orgânico da Cativa Natureza
Eu não sei porque ainda compro esfoliantes, já que é possível encontrar os melhores esfoliantes na nossa cozinha (café, aveia, fubá, açúcar etc).
Esse esfoliante da Cativa é vegano e possui a formulação muito rica, composta por ingredientes naturais e orgânicos, mas os grânulos são muito fininhos e não fazem um trabalho eficaz em esfoliar bem a pele do rosto. Não sinto que ele remove as células mortas nem os pontos pretos. Além disso, eu acho que ele sensibiliza demais a minha pele, de forma a deixá-la toda vermelha e ardendo. Enfim, se você busca um esfoliante facial para ativar a circulação do rosto, experimente usar o fubá ou a aveia no rosto com movimentos circulares. Para remover células mortas e pontos pretos, faça máscara de argila verde que é mais eficaz que esfoliantes comerciais.

2. Primer de olhos na cor champagne da Elf
Quando comprei esse primer, achei que fosse ser um primer de olhos com a proposta similar ao primer potion da Urban Decay na cor "Sin". Mas não! Ele possui partículas de brilho enormes, tão grandes que qualquer sombra aplicada em cima não faz essas partículas sumirem. A não ser que você queira esse efeito nada discreto de sombra disco ball de criança de 12 anos, eu não acho que ele seja um primer que valorize a pálpebra ou a sombra. Ainda bem que só custou 1 dólar!
Obs: o primer mineral da Elf, por outro lado, possui pigmentação clarinha opaca e é um dos meus preferidos.

3. Máscara incolor para cílios e sobrancelhas da Elf
Esse rímel incolor não faz absolutamente nada com os meus cílios, não define, não curva, não hidrata... ou seja, pra mim é inútil. Já o gel para sobrancelhas pareceu que eu passei gel de cabelo. Elas ficaram durinhas (e não arrumadas como deveriam) e no final do dia eu fiquei com pelotinhas de gel. Tipo: grotesco! Mais uma vez, ainda bem que custou super baratinho.

4. Corretivo em creme da Alverde
Pra começar, ele possui fragrância e ela me incomodou bastante. Além disso, a cor é nada a ver pra mim, super acinzentado! A cobertura não é das melhores. E para fechar com chave de ouro, ele é não é sequinho e deixa a pele com aparência bastante oleosa.

5. Base na cor 2 medium da Alva
Quando comprei a base e comecei a usar com certa frequência, eu gostei muito dela e até fiz resenha aqui no blog. Ela tem ingredientes ótimos, não obstruiu meus poros, não causou espinhas e tem cobertura levinha. No entanto, agora que estou mais clara, a cor dela fica muito rosada pra mim e não dá nem para disfarçar. Além disso, ela não segura a oleosidade nem no frio. A cor número 1 é o oposto: muito amarelada! Se estiver pensando em comprá-la, recomendo testar a cor na pele do rosto antes para não se arrepender.

6. Primer facial HD da NYX
A não ser que você seja muito branca ou queira fazer maquiagem artística com a cara toda branca, esse primer não é ideal para ser usado em pessoas com a cor de pele bege, morena ou negra. Ele deixa a pele branca azulada e nem a base por cima consegue disfarçar. Além disso, como função de primer, ele não controla a oleosidade, não disfarça os poros nem prolonga a maquiagem. Tem o cheiro bem estranho também. Eu não tirei fotos com ele, por isso não sei dizer se fotografa bem como anunciado.

7. Gel facial guaraná, mate e levedura da Multivegetal
Não sei dizer se tive alguma reação alérgica com determinado ingrediente, mas toda vez que eu uso esse gel, fico com o rosto ardendo e o nariz coçando por muitos minutos e depois alivia. Já usei o óleo essencial de menta com óleo vegetal no rosto e sei que não é ele quem causa essa sensação. Tive a mesma reação com o gel esfoliante para peles oleosas da marca e também não me adaptei. Sinto a pele bem sequinha após usá-lo e o cheiro de ervas com menta não é ruim. Mas essa sensação de ardência inicial é tão desagradável para mim, que não valeu a pena e eu tenho até medo de usar.

8. Loção de tea tree para controle de oleosidade da Desert Essence
Esse hidratante facial tem a fórmula tão rica em óleos vegetais, óleos essenciais e ingredientes nutritivos, preço tão em conta, que eu não me conformo de não ter me adaptado a ele. Eu tenho uma reação alérgica cada vez que uso, fico com a pele do rosto toda ardendo e queimando durante alguns minutos. É desesperador! É muito mais forte que o da Multivegetal. Fico parecendo um pimentão e isso não é nada agradável. haha Ah, e ele não segura a oleosidade por muito tempo.

9. Shampoo para cabelos loiros da Éh
Eu comprei esse shampoo há bastante tempo e já foi promovido a shampoo de lavar pincéis. Na época a empresa alegava que os produtos eram veganos, mas hoje não são mais. Ele é indicado para cabelos loiros e tudo o que ele fez foi ressecar e fazer meu cabelo virar uma palha. Não achei que ele desamarela ou realça a cor.

10. Máscara de Buriti Amazônia Preciosa da Surya
Como disse nessa resenha, essa máscara infelizmente não cumpre o que promete, que é reparar e hidratar cabelos tingidos. Ela não é emoliente o suficiente também e a forma de aplicação não é amigável.

11. Dekap Color da Yamá
Esse produto deveria receber o prêmio gambá. O cheiro é horrível! É o pior de todos os cheiros do mundo!! haha! Ele desbota a cor do cabelo tingido até que bem, mas aguentar esse cheiro no cabelo depois de seco e depois até de 3 lavagens é dureza. Eu usei tudo quanto é perfume e óleo essencial no cabelo e o cheiro de esgoto/chorume/ovo podre não sai. Pelo menos ele te encoraja a não tingir o cabelo sem antes pensar umas 35 vezes.


segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Resenha: Shampoo de Argan da Multivegetal




Vou falar das minhas impressões sobre o shampoo da Multivegetal de Argan que venho usando há algumas semanas. 

Para quem não conhece, a Multivegetal é uma marca totalmente vegana e voltada para o segmento de cosméticos naturais, mas não é orgânica. As fórmulas dos produtos são livres de lauril sulfatos, parabenos, etanolaminas, corantes, fragrâncias artificiais, polímeros sintéticos, produtos derivados de petróleo ou de origem animal.

Segundo o site, o shampoo de argan: limpa, hidrata e nutre cabelos secos ou ressecados, especialmente os crespos e encaracolados. Contém óleo de argan, seiva de aloe e extrato de hibisco. O preço é R$23,00 e quem tem o cartão do Vista-se (super recomendo) ganha desconto de 15%. O frete fica bem em conta, principalmente se levar mais produtos. 

Já experimentei a linha para cabelos claros e a linha de aloe da Multivegetal. O shampoo para cabelos claros foi um desastre, ressecou demais o meu cabelo!! Já o condicionador da mesma linha, é maravilhoso. É muito emoliente e tem um cheirinho bom, é desses que derretem o cabelo. Com a linha de aloe eu gostei do shampoo, mas não achei o condicionador tããão bom como o outro. 

Apesar de não ter cabelo cacheado, tenho cabelo ressecado e escolhi essa linha por ter a formulação mais suave e hidratante.

Confesso que o cheiro dos produtos da Multivegetal não é dos mais agradáveis, e com esse shampoo não é diferente. Mas o cheiro também não chega a ser ruim. Vi que a fórmula leva baunilha, mas não senti cheiro de baunilha não. Tem cheiro de babosa e extratos vegetais fortes, mas não fixa no cabelo depois de seco.

A aplicação do shampoo é bem complicada e chata. Ele tem baixa viscosidade, é ralinho. Por ser sem sulfato, não faz muita espuma e dá a impressão que não espalha direito. Daí a tendência é aplicar mais e mais. Mas contornei esse problema de desperdício diluindo uma parte de shampoo para uma parte de água em um potinho. Aliás, essa é uma boa forma de economizar produto, não só com shampoos sem sulfato. 

O resultado depois de seco e com o uso de um condicionador foi muito satisfatório! O cabelo ficou muito brilhoso na raiz, macio e hidratado. Eu também senti uma sensação de limpeza no couro cabeludo.



quinta-feira, 4 de abril de 2013

Loção Hidratante Facial da Multivegetal



Depois que o meu tão querido hidratante facial da Lush acabou (falei dele aqui), achei o hidratante facial Loção balanceadora da Multivegetal perdido nas minhas gavetas e resolvi dar uma segunda chance pro coitado, já que as minhas primeiras impressões não tinham sido boas.

Tenho usado a loção antes de dormir e ao acordar, após a limpeza e tonificação. É indicada para peles mistas e oleosas, pela capacidade de equilibrar e hidratar. Contém manteiga de karité, que é um ingrediente maravilhoso para hidratar peles secas, camomila, lúpulo, óleo de chá verde, levedura e óleos essenciais de alecrim, grapefruit e baunilha.

Como minha pele é oleosa na zona T e abaixo dos olhos, e ressecada ao redor do queixo e abaixo das bochechas, achei que essa loção iria ser a ideal para mim. Nas áreas mais secas houve uma melhora considerável na hidratação, já nas áreas oleosas, senti que o controle de oleosidade não foi tão bom. Isso nem é tão problemático, já que posso usar maquiagem em pó para ajustar o nível de oleosidade.

Os pontos positivos que eu considero são:

- O cheiro é uma delícia, dá pra sentir bem a baunilha e o alecrim.
- Os ingredientes são naturais e saudáveis.
- Hidrata bem a pele.
- O SAC da empresa é fantástico. São super solícitos e sempre disponíveis.

Os aspectos que eu não gostei e continuo não gostando foram:

- Se a pele estiver irritada ou lesionada, sinto uma ardência quando aplico. Pode até ser uma alergia, mas depois de alguns minutos, a pele acalma.
- Acumula produto no bico de saída (veja foto), oxida e forma uma melequinha marrom chata.
- A textura é de uma goma, acho que se deve pela goma xantana na composição. E não espalha muito bem. A pele absorve rapidamente, mas depois que seca, é difícil espalhar. Se tivesse uma textura de gel, seria ótimo.


Depois de alguns minutos, a textura de goma.
 Custa R$26,00 no site da Multivegetal. Pelo visto mudaram a embalagem.